Entrevista: Halestorm fala sobre processo de criação e amor pelo Brasil

halestorm (1)

Na semana que vem, mais especificamente no dia 07 de setembro, o Brasil receberá grandes nomes da música na primeira edição do Maximus Festival, em Interlagos, São Paulo.

Os americanos da Halestorm estão inclusos no lineup e a Nação da Música teve a chance de conversar com o guitarrista Joe Hottinger. O músico falou sobre o processo de criação do álbum “Into The Wild Life”, de 2015, sobre o lançamento do EP de cover e também expressou o amor da banda pelos fãs brasileiros.

A entrevista foi feita por Marina Moia

————————————————————————————————————— Leia a íntegra

Como você está?
Joe: 
Estou muito bem, obrigado! E você?

Estou bem, obrigada! Bom, o último álbum da Halestorm, “Into The Wild Life”, é bem diferente dos anteriores e tem até um pouco de country. Quão importante foi para a banda fazer essa mudança no som? E o que influenciou vocês durante o processo de criação?
Joe: 
Nós entramos nesse álbum com um tema totalmente diferente. Nos dois primeiros álbuns nós tivemos Howard Benson produzindo e gravando, e nesse nós fomos para Nashville, ao invés de Los Angeles, e tivemos Jay Joyce produzindo e mixando, num estúdio diferente, com uma vibe diferente. Nós não planejamos previamente fazer algo totalmente diferente… Eu sei que nós gravamos de maneira diferente, que tem muito a ver com a mudança do som. Nós gravamos muita coisa ao vivo e usamos os melhores takes, mas não tínhamos um plano consciente de fazer algo diferente. As pessoas dizem que até parece um pouco country, ou qualquer coisa que você ouvir ali, nós não sabemos tocar country, então… (risos). Nós gostamos do álbum que fizemos e estamos muito felizes com ele.

Jay Joyce foi o produtor do álbum e ele sempre trabalha com diversos tipos de artistas, especialmente do meio country. Como foi estar com ele no estúdio?
Joe: Nós amamos trabalhar com Jay! Ele é super criativo e muito “mão na massa”, tocava com a gente… Às vezes estávamos nós quatro num círculo, gravando músicas, e ele pegava uma guitarra e começava a tocar com a gente. Foi muito divertido. E não sei se vamos trabalhar com ele de novo, eu amaria, mas vamos descobrir quando chegar a hora. Foram ótimos momentos e uma ótima experiência.

Já estão trabalhando num próximo álbum? O que podemos esperar ouvir de Halestorm?
Joe: 
Sabe, estamos escrevendo, então vamos ver qual música vai entrar para o disco. Mas estamos escrevendo músicas bem legais, bem rock and roll, algumas mais pesadas, com estilo rock and roll de grandes arenas, é o que estamos tentando criar. Mas veremos… ainda estamos no processo de escrever e tirar isso do nosso sistema, vamos ver onde vamos parar. Não estamos com pressa, mas estamos fazendo tudo muito rápido.

Parece que vocês estão sempre viajando em turnê. Como encontram tempo para escrever músicas e gravar?
Joe: Bom, estamos sempre acumulando ideias… Estamos indo e voltando por meses agora e dai você tem uma ideia ou alguém fala alguma coisa e você escreve isso, ou grava um riff de guitarra em seu telefone, ou aquele primeiro verso que você nem sabe se vai funcionar. Sabe, está sempre acontecendo, até mesmo nos meet & greets ou entrevistas…

E vocês irão lançar mais um EP de covers, certo? Já está pronto? Quais músicas vamos ouvir dessa vez?
Joe: 
Estamos prestes a gravar o EP, quando voltarmos da América do Sul, e nós já escolhemos as músicas, mas não vou te contar quais são (risos). Você descobrirá quando todos descobrirem também.

Tudo bem! Mas estão empolgados com o EP?
Joe: 
Ah sim, totalmente empolgados! Será muito legal, com coisas bem diferentes e será muito divertido, com certeza. Vamos fazer com produtor lendário, com quem sempre quisemos trabalhar e mal posso esperar para ver como sairá.

Na semana que vem, Halestorm estará no Brasil, para o Maximus Festival. É a terceira vez que a banda vem para cá e a Lzzy [Hale – vocalista] disse recentemente em uma entrevista que os fãs mais loucos são os fãs brasileiros. Então, está empolgado para voltar?
Joe: 
Oh meu Deus, mal posso esperar para voltar! Eles são muito apaixonados por música e por shows ao vivo. Nós tivemos um dos shows mais memoráveis de todos os tempos em São Paulo, em 2013, como headliner, e foi fenomenal, nós nos divertimos muito. Então, sim, mal posso esperar para chegar ai.

E nós estamos empolgados com os shows também! E o Maximus Festival terá grandes bandas, incluindo Halestorm, algumas com quem vocês já até tocaram. Está ansioso para ver algum show em especial?
Joe: 
Sim, sim, vai ser como uma reunião familiar, vão ter muitas bandas que a gente conhece, como Black Stone Cherry, Shinedown, todos esses caras que a gente conhece tão bem e já estivemos em turnê por anos. Nós vamos nos divertir muito em outra parte do mundo.

E o que você mais gosta: tocar em festivais, com várias bandas, ou turnês solo?
Joe: 
Honestamente, eu gosto do dois. Igualmente e diferentemente. Festivais são muito divertidos. Você entra lá, tem um set menor e tenta fazer com que as pessoas queiram mais. E a energia de grandes plateias é fora dos limites. Não tem sentimento igual ao de perder você mesmo em meio a milhares de pessoas, seja 20 mil, 30 mil, tanto faz, não importa. É um sentimento como nenhum outro no mundo. Mas dai você tem os shows headliners e eles são muito divertidos também. São mais sossegados e você consegue tocar outras músicas, mais improvisação, você tenta interagir mais com quem está lá e eles cantam mais. Você consegue “usar” o público de maneira diferente. Eu amo os dois!

E você tem alguma mensagem para os fãs brasileiros que estão empolgados com a volta da Halestorm no país?
Joe: 
Eu diria para os fãs brasileiros da Halestorm que nós os amamos muito. Muito obrigado por serem os melhores fãs de música do mundo e por nos aceitarem. Mal posso esperar para tocar no festival que está chegando e mal posso esperar para voltar depois do festival. Sabe, nós sempre tentamos ir para o Brasil, mas algumas vezes fica difícil de voltar. Mas eu amo vocês e amo o Brasil e gostaria que o mundo inteiro fosse como vocês.

Não deixe de curtir a nossa página no Facebook, e acompanhar as novidades do Halestorm e da Nação da Música.

COMPARTILHAR
Marina Moia
Bauruense de coração, é formada em Jornalismo e apaixonada por música desde que se conhece por gente. Acredita que não tem nada como um show para alimentar a alma e levantar o ânimo. É também viciada em seriados e não dispensa uma boa maratona de episódios.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!