Resenha: “ANAVITÓRIA” (2016) – Anavitória

Quando penso em Anavitória, eu só consigo imaginar uma perfeita harmonia e letras que nos conquistam com seus detalhes. Ana Caetano e Vitória Falcão chegaram de fininho no cenário musical brasileiro, gravaram um EP em 2015 e no dia 18 de agosto de 2016 lançaram seu primeiro disco “Anavitória”.

As meninas que são apadrinhadas do Tiago Iorc contaram com a ajuda do artista na produção do disco, além de sua participação em uma das 11 faixas do álbum e da sua participação da composição de algumas canções. Uma coisa interessante, que as elas sempre comentam, é que realmente o disco não tem um estilo musical único. Elas transitam muito bem entre o pop, o folk, de uma maneira muito natural, trazendo elementos da cidade e da natureza.

“Agora Eu Quero Ir” é a música que abre o disco da dupla. Com composição da Ana Clara e Tiago Iorc, podemos sentir a sintonia existente entre as meninas, além de uma melodia que marca bastante e não sai da cabeça. Para quem ainda não conhecia as meninas, consegue sentir bastante a diferença nas vozes, mas como elas se completam quando juntas. “Cor de Marte” vem na sequência, uma canção já conhecida pelo público mais antigo das meninas. A transição de uma faixa para a outra foi algo que me chamou a atenção, sendo muito natural.

“Singular” também é uma das músicas já conhecidas e para quem ouviu a versão cantada só pela Ana, a do EP e a que está presente no disco, pode sentir todo o amadurecimento que as duas tiveram nesse meio tempo. “Chamego Meu” já traz um pouco mais de energia e mistura de instrumentos. Ganhou uma nova versão, comparada com lançada anteriormente, mas sem perder a sua essência e características. Na sequência escutamos “Trevo(Tu)”, com participação do Tiago Iorc. A voz do cantor se conecta muito bem com a das meninas, trazendo mais riqueza para a canção. A escolha das palavras para essa música também chama a atenção.

 

“Coração Carnaval” tem apenas 51 segundos, mas se mostra como uma transição para o restante das canções e já nos prepara para a faixa que vem a seguir. “Dengo” é daquelas canções de amor bem cativantes e intimistas que trazem uma energia boa para o trabalho. Na sequência vem “Tocando em Frente”, única canção que não é original das 11 presentes no álbum, mas que nessa releitura segue com o estilo proposto no disco. Inclusive, em uma entrevista para a Nação da Música, as meninas comentam sobre como foi colocar essa canção no álbum. VEJA AQUI.

“Talvez a Deus” chega com um pouco mais de folk e muda um pouco a vibe apresentada até agora, mas não deixa de ser cativante assim como o restante das músicas. “Tua” volta com o tom mais intimista, acalmando um pouco o disco logo no seu final. “Nos” encerra o álbum com o que a gente já conhece do som das meninas. Assim percebemos que o disco tem algumas canções que se destacam mais dos que as outras, pelo estilo escolhido, mas que o álbum em si é bem conectado.

Tracklist:

01. Agora Eu Quero Ir
02. Cor de Marte
03. Singular
04. Chamego Meu
05. Trevo (Tu)
06. Coração Carnaval
07. Dengo
08. Tocando em Frente
09. Talvez A Deus
10. Tua
11. Nos

Nota: 9,5

Deixe seu comentário no final da página, marque aquele seu amigo que também curte o AnaVitória, e acompanhe a Nação da Música nas Redes Sociais: FacebookTwitterSpotify e Instagram.


COMPARTILHAR
Andressa Oliveira
Andressa Oliveira: Metade campograndense, metade paulistana. Iniciou a sua faculdade de Jornalismo em 2012 e escreve para o Nação da Música desde então. Estuda música desde pequena, é obcecada por reality shows musicais e em descobrir artistas novos por meio dos seus covers. Odeia atender telefone, mas não vive sem seu celular. Apaixonada por seriados, livros e filmes da Disney.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!