System of a Down

Resenha por: Ana Bellucci

E foi de baixo de chuva que os fãs de São Paulo conseguiram assistir ao System of a Down na noite da última sexta-feira (25), um dia depois de participarem como headliner do Rock In Rio, com uma das performances mais elogiadas e comentadas desta edição.

Foi nessa pegada que o quarteto americano se apresentou: a empolgação e energia do público era bastante similar ao que pudemos assistir na transmissão ao vivo do festival. Com um setlist repleto de sucessos de várias épocas da carreira, a banda mostrou que realmente se mantém em um nível superior do rock, ainda que não tenha lançado nenhum projeto novo há dez anos – quando foi lançado os CDs “Mezmerize” e “Hypnotize”.

Quem abriu a noite foi a banda Deftones, às 22h30, que apesar de não ter tantas músicas cantadas pelos que estavam ali presentes, souberam fazer um show cheio de energia que conseguiu distrair aqueles que esperavam o System Of a Down, em evento realizado na Arena Anhembi.

Era evidente a emoção das músicas frente aos paulistas, que sabiam todas as faixas tocadas nesta noite – a mesma sequência apresentada no Rio de Janeiro. E depois de um atraso de quase 20 minutos (o horário previsto era às 11h30, mas iniciou de fato por volta das 11h47), bastou eles aparecerem no palco que a forte chuva que caia foi esquecida rapidamente.

- PUBLICIDADE -

Logo no começo, a banda já levou todos ao delírio com a música “I-E-A-I-A-I-O”, que todos gritavam a ponto do vocalista Serj Tankian direcionar o microfone para a plateia e apenas sorrir ouvindo a multidão que esgotou os ingressos. Em seguida, os hits “Suite-Pee”, “Attack” e “Prison Song” já deram a prévia de como seria aquele show: a guitarra pesada, o público nos “Bate-cabeças” e a simpatia de Serj Tankian, o guitarrista Daron Malakian, baixista Shavo Odadjian e baterista John Dolmayan já tinham conquistado o sucesso.

A fórmula foi repetida: sucesso atrás de sucesso, sem muitas conversas ou palavras em português – apenas “obrigado” em português e declarações em inglês como “System of a Down ama o Brasil” –, a interação vinha através das famosas dancinhas do vocalista, olhares do baixista e algumas letras de músicas trocadas pelo guitarrista, como “Hollywood” se tornava “São Paulo”. E foi nesse ritmo pauleira que seguiu a apresentação até o fim.

E os fãs paulistas ainda ganharam elogios: “Vocês são uma das plateias que cantam mais alto que já tivemos”. Com certeza, aquela noite será recordada por muito tempo ainda, e comprovou que mesmo sem um disco recente, eles possuem seguidores fiéis.

Durante a noite, Serj Tankian recebeu a bandeira entregue por um fã na grade, que continha a bandeira do Brasil junto com a da Armênia – de onde são descendentes. Os clássicos “Aerials”, “Chop Suey”, “Toxicity” e “B.Y.O.B.” não podiam faltar; e como encerramento, “Sugar” foi o último single tocado pelo grupo em solo brasileiro.

- PUBLICIDADE -

Quem não pôde ir ao Rock in Rio mas conseguiu comparecer em São Paulo, teve uma bela amostra de um show sem defeitos, com o respeito e boa vontade dos artistas e uma multidão que cantava como se não existisse mais nada e nem ninguém naquele momento. Após o término, antes dos integrantes se despedirem do público, eles correram para abraçar uns aos outros de forma bem felizes, como realmente amigos e um clima feliz de “trabalho feito”.

Agora, é torcer para que eles voltem logo e já matem essa saudade que já deixaram.

Confira abaixo a setlist do System of a Down em São Paulo:

01 – I-E-A-I-A-I-O
02 – Suite-Pee
03 – Attack
04 – Prison Song
05 – Know
06 – Aerials
07 – Soldier Side – Intro
08 – B.Y.O.B.
09 – Soil
10 – Darts
11 – Radio/Video
12 – Hypnotize
13 – Temper
14 – CUBErt
15 – ATWA
16 – Needles
17 – Deer Dance
18 – Bounce
20 – Suggestions
21 – Psycho
22 – Chop Suey!
23 – Lonely Day
24 – Question!
25 – Lost in Hollywood
26 – Vicinity of Obscenity
27 – Forest
28 – Cigaro
29 – Toxicity
30 – Sugar

Não deixe de curtir a nossa página no Facebook, e acompanhar as novidades do System Of A Down da Nação da Música.

- PUBLICIDADE -