Rainhas do CrimeNo último dia 08, os cinemas brasileiros receberam a estreia de “Rainhas do Crime”, adaptação do quadrinho de mesmo nome da Vertigo, selo de histórias com conteúdos adultos da DC Comics. A direção é de Andrea Berloff, tendo produção da New Line Cinema e distribuição da Warner Bros Pictures.

A película conta um elenco recheado de nomes fortes, com destaque para o trio formado por Melissa McCarthy (Missão Madrinha de Casamento e A Espiã Que Sabia de Menos), Tiffany Haddish (Viagem das Garotas e Uncle Drew)e Elisabeth Moss (Handmaid’s Tale e Mad Men). Além disso, é possível citar outros participantes, como Margo Martindale (Justified e The Americans), Domnhall Gleeson (O Regresso e Brooklyn), Common (“O Ódio que se Semeia” e “John Wick: Capítulo 2”), James Badgett Dale (“Os Infiltrados” e “Homem de Ferro 3”), entre outros.

O enredo se faz presente durante a década de 70, mais precisamente em Nova Iorque, contando a história de Kathy Brennan (Melissa McCarthy), Ruby O’Carroll (Tiffany Haddish) e Claire Walsh (Elisabeth Moss), esposas de mafiosos irlandeses. Cada uma tem seu temperamento e, também, carregam consigo diversas histórias. Diante da prisão dos três, começam a se envolver nos negócios de seus esposos e, com diversas intrigas e passando por cima de muitos acontecimentos, vão se firmando como líderes.

Para criar a ambientação de época misturada com o propósito do filme, a trilha sonora se mostra imprescindível. Sendo assim, confira abaixo quatro canções presentes na produção:

“It’s a Man’s Man’s Man’s World” – Etta James

Lançada originalmente em 1966 por James Brown e Betty Jean Newsome, a canção foi regravada por Etta James para estar em seu álbum “All The Way”, divulgado em 2006, com diversos covers de faixas que tiveram alguma relação com sua carreira.

- PUBLICIDADE -

Com um estilo modificado da original, a cantora inseriu na sonoridade um violão dedilhado, lembrando de músicas latinas, além da tradicional bateria pausada e teclado presente. A guitarra faz presenças marcantes na faixa, causando impactado quando aparece. A artista mostra sua voz melódica, com mudanças de tom e afinação impecável, o que a levou a figurar na 22ª posição da lista de Melhores Cantores e Cantoras de Todos os Tempos, elaborada pela Rolling Stone. A letra fala que o homem criou muitas coisas no mundo, porém nada disso seria importante sem a presença de uma mulher.

Devido a seu sucesso, o single já foi cantado por Christina Aguilera, Seal, Cher, a própria Etta James, Celine Dion, entre outros.


“Simple Man” – Lynyrd Skynyrd

- PUBLICIDADE -

Presente em “Pronounced ‘L?h-‘nérd ‘Skin-‘nérd”, álbum de estreia da banda, a canção foi lançada em 1973, sendo composta por Ronnie Van Zant e Gary Rossington.

A faixa é lenta, melódia e contém letra tocante, expressando a relação de mãe e filho. Começa com um dedilhado de guitarra e, em certos momentos, se torna mais pesada, com distorção, apresentando um marcante solo no final. O vocal é calmo, acompanhando o sentimentalismo presente na música, porém alonga-se e aumenta de tom junto com os instrumentais.

Devido à seu sucesso, o single já apareceu, além do filme citado, em “The Sopranos”, “Supernatural”, no jogo “Rock Band”, entre outros.


“Barracuda” – Heart

- PUBLICIDADE -

Lançada em 1977, a canção aparece no segundo álbum da banda, intitulado “Little Queen”. Liderada por seu riff de guitarra marcante, a faixa traz um mix de respeito com os vocais poderes das irmãs Ann e Nancy Wilson, que se complementam, além dos instrumentais em sintonia e solos evidentes.

A música atingiu grande sucesso, figurando a 34ª posição na lista de Melhores Canções de Hard Rock da História, elaborada pela VH1, além de estar presente na cultura pop, como na série “The Boys” e no jogo “Guitar Hero III: Legends Of Rock”.


“Paint It, Black” – Rolling Stones

Sendo uma das mais famosas canções dos Rolling Stones, foi lançada em 1966 e está presente no disco “Aftermath”. Foi composta pela dupla icônica Mick Jagger e Keith Richards.

Sua introdução conta com a inconfundível guitarra “cantando”, junto da bateria e Jagger em um vocal calmo que, repentinamente, da uma guinada e acelera, colocando força na música, tanto em seus instrumentais como no tom da voz do cantor britânico, acompanhado de backing vocals marcantes. É dotada de uma letra que aborda um estado depressivo relacionado a cores, impecavelmente interpretada pela banda.

Devido à seu inegável sucesso, o single está presente em diversas produções do entretenimento em geral, como nos filmes “Nascido Para Matar”, “Advogado do Diabo” e “A Múmia”, além da série “Tour of Duty” e dos jogos “Call of Duty: Black Ops III”, “Guitar Hero: Legends of Rock”, “Guitar Hero: Live”, “Rocksmith 2014”, “Twisted Metal: Black” e “Máfia III”.


Não está por dentro do lançamento do filme e gostaria de saber um pouco mais? Veja o trailer legendado logo no final da notícia!

Deixe seu comentário no final dessa publicação, marque seus amigos que também curtem Rainhas do Crime, acompanhe a nossa agenda de shows e a Nação da Música através do Twitter, Facebook, Instagram e Spotify. Muito obrigado pela visita e por ler essa matéria!