Entrevistamos Índigos sobre novo disco “SINAPSE”

- PUBLICIDADE -
índigos
Foto: Andreina Mosteiro
@nacaodamusica

Formada por Marcelo Escobar, Beto Gebhard e Alberto Whyte, a banda Índigos lançou na última semana o mais novo disco da carreira, chamado “SINAPSE”. O trabalho conta com participações de Malu Magri, Andret Oliveira e Bratislava e produção do integrante Ghebard.

A Nação da Música teve a oportunidade de conversar com o baterista da banda Índigos, Alberto Whyte, sobre processo criativo, de produção e o videoclipe do single “Palácio”.
Entrevista por Marina Moia.

———————– Leia a íntegra:
Olá, obrigada por falar com a Nação da Música! O disco “SINAPSE” acaba de ser lançado! Parabéns. Como tem sido esses dias pós-lançamento?
Beto Whyte: Estamos muito felizes com esse lançamento, pois foi um ano de trabalho de muita dedicação em estúdio. Temos tido bons feedbacks quanto ao disco, as letras e a sonoridade. Agora estamos bem ansiosos para poder fazer shows novamente, e quem sabe, iniciar a composição de mais um disco.

Gostaria que vocês contassem pra gente sobre como foi o processo de criação deste álbum. Foi muito diferente em relação aos projetos anteriores?
Beto Whyte: O processo foi bem diferente, pois a banda mudou de formação. Foi uma experiência muito rica, pois pela primeira vez fizemos composições na banda sem a ajuda de um produtor externo ou compositor erudito. Aprendemos muito na nossa introspecção! E nos conhecemos melhor também como banda.

“SINAPSE” foi produzido por Beto Gebhard, integrante da banda. Comentem sobre esse processo…
Beto Whyte: O Beto é parte da banda, o que torna esse trabalho de produção complexo, pois ao mesmo tempo ele é um personagem interno e externo ao universo do disco. Todavia, fomos bem democráticos e não descartamos ideias durante o processo. Todos trouxeram pontos positivos para agregar na sonoridade do disco, e o Beto se responsabilizou em juntar tudo isso e fazer nossa identidade nova aparecer com mais brilho.

O clipe do single “Palácio” também já está no ar, com uma estética muito linda. Como foram as gravações do vídeo?
Beto Whyte: As gravações foram super corridas. Fizemos tudo em poucos dias em função do prazo de lançamento do disco. Posso dizer que foi uma gravação “kamikaze”. O clipe foi dirigido e produzido por mim, Beto Whyte. Convidamos uma atriz/coreógrafa, Nayara Fernandes, para participar do clipe. Ela trouxe uma coreografia muito incrível, e fizemos as cenas do fliperama de forma muito livre, deixando a arte dela fluir naturalmente! A atmosfera do clipe nos leva para os anos 80, que tem muita relação com a nossa sonoridade, os teclados, os sintetizadores.

Para quem ainda está conhecendo o trabalho da banda, quais são as maiores influências em comum entre vocês? Principalmente se tratando do disco novo…
Beto Whyte: Acho que tudo que ouvimos acaba virando influência. Não existe uma banda na qual nos espelhamos 100%. E também é mais legal deixar as pessoas terem a própria interpretação das músicas e seus temperos.

Gostariam de deixar um recado aos leitores da Nação da Música?
Beto Whyte: Estamos muito felizes em dividir esse trabalho com vocês! Queremos levar nosso som e nossa mensagem a todos, sem exceção. “Sinapse” nasceu da troca de experiências e união. E a ideia é fazer essa troca com todos que ouvirem e se identificarem. Espero que gostem! Muito rock para todos!

Muito obrigado pela sua visita e por ler essa matéria! Compartilhe com seus amigos e pessoas que conheça que também curtam Índigos, e acompanhe a Nação da Música através do Twitter, Google Notícias, Instagram, YouTube, Facebook e Spotify. Você também pode receber nossas atualizações diárias através do email - cadastre-se. Caso encontre algum erro de digitação ou informação, por favor nos avise clicando aqui.

Torcemos para que tudo esteja bem com você e toda a sua família. Não se esqueça de lavar bem as mãos e se possível #FicaEmCasa, mas se precisar sair não se esqueça de usar a máscara! Cuide-se.

- PUBLICIDADE -