Entrevista: The Vamps fala sobre “Night & Day” e show no Brasil

Com novo álbum “Night & Day” lançado em julho, o quarteto britânico The Vamps está no Brasil para show único em São Paulo, na Audio, neste domingo (17).

Além do disco oficial, a banda divulgou também a “Night Edition”, sendo que “Day Edition” está prevista para dezembro deste ano. A Nação da Música teve a oportunidade de conversar com Connor Ball, baixista do grupo, sobre a passagem pelo Brasil, o trabalho recente e também sobre a evolução da banda.

Entrevista feita por Marina Moia.

————————————————————————————————————— Leia a íntegra

Vocês já estão no Brasil há alguns dias! Como tem sido a viagem até agora?
Connor: 
Tem sido ótimo! Nós tivemos uma folga nos dois primeiros dias, então nós descansamos, jogamos futebol e fomos num parque onde tinha macacos e nos divertimos bastante até agora!

Conseguiram aprender um pouco mais sobre nossa cultura? Algumas palavras, comidas, coisas assim?
Connor: 
Feliz Natal?! [Connor fala a expressão em português]. Essa foi uma das que eu aprendi. Nós experimentamos brigadeiro… A carne [churrasco] é maravilhosa! A comida é muito boa. Nós realmente amamos aqui, é bem gostoso.

The Vamps tem show marcado no domingo em São Paulo! O que os fãs podem esperar?
Connor: 
Será um show bem legal. Teremos Tini Stoessel com a gente como convidada especial. Será algo bem diferente para os fãs e para nós também. Tocaremos a música que lançamos com ela, chamada “It’s A Lie”, e quem sabe ela cante outras músicas com a gente também… Será um ótimo show para os fãs, esperamos, e nós estamos empolgados porque os fãs aqui são muito bons e nós colocamos um esforço ainda maior para tudo ser incrível. Estamos muito ansiosos!

A banda começou no YouTube e agora vocês viajam o mundo divulgando e tocando músicas próprias. O que vocês acredita que mais mudou tanto em vocês próprios como na The Vamps como um todo?
Connor: 
Acho que, como pessoas, nós simplesmente crescemos um pouco mais desde que começamos a banda. Nós amadurecemos pessoalmente e musicalmente e, espero, que tenhamos melhorado como músicos e no que fazemos, como cantar e tocar nossos instrumentos. Eu acho que muita coisa mudou desde então e continuamos tentando evoluir como pessoas e como músicos.

Parabéns pelo novo disco! Como foi o processo criativo de “Night & Day”?
Connor: 
Obrigado! Foi legal! Foi um pouco maior do que estávamos acostumados. Demoramos um ano e meio para escrevê-lo e finaliza-lo. Trabalhamos com diversas pessoas diferentes e em muitos países diferentes, como Suécia, EUA, Inglaterra. Isso foi muito legal. Trabalhar com Matoma, Martin, Tini… Foi um processo diferente, mas muito interessante para nós. Mandávamos ideias para eles e eles retornavam com a visão deles, colocando elementos diferentes nas músicas. Estamos ansiosos também para a segunda parte do disco!

Como você disse, neste disco há muitas colaborações, como Martin Jensen, Sabrina Carpenter, Tini, entre outros. Como vocês escolheram essas pessoas e como foi trabalhar com elas?
Connor:
Nós não trabalhamos no estúdio com nenhuma dessas pessoas. Nós mandamos as músicas pra eles para que eles adicionassem elementos nas faixas. A primeira foi com Matoma, na música “All Night”, e nós não tínhamos uma “drop” para ela ainda. Achamos que ele fez um ótimo trabalho com a música! E ele tem uma vibe incrível, além de ser muito talentoso, então por isso que procuramos ele para essa parceria. Mandamos a faixa para ele e ele surgiu com uma “drop” e nos enviou de volta e dai ouvimos e pensamos “é, é isso mesmo que a música precisa”. Ele arrasou!

Sei que pode ser difícil escolher, mas você tem alguma música favorita do disco?
Connor: 
Para mim, “Paper Hearts” é a minha favorita. Nós todos temos nossas preferidas, por diversas razões.

Por que tomar essa decisão de separar o álbum em “Night Edition” e “Day Edition”?
Connor: 
Nós simplesmente temos muitas músicas! Nós temos várias e não queríamos nos desapegar delas e deixa-las sem uso. Então, achamos que seria uma ótima ideia coloca-las todas juntas, mas separadas ao mesmo tempo. “Night & Day” é o conceito como um todo, mas tenho “Night” e “Day” separados também. Para os fãs, são mais músicas para ouvir, e para nós são mais músicas que conseguimos lançar para o mundo. Espero que um ganho mútuo para todos [risos].

Gostaria de mandar uma mensagem para os fãs brasileiros?
Connor: 
Olá para todos que estão lendo! The Vamps ama vocês e esperamos que você aproveitem o show! Nós voltaremos muito em breve!

Deixe seu comentário no final da página, marque aquele seu amigo que também curte The Vamps e acompanhe a Nação da Música nas Redes Sociais: Facebook, Twitter, Spotify e Instagram.


COMPARTILHAR
Marina Moia
Jornalista, bauruense de coração e apaixonada por música desde que se conhece por gente. Viciada em séries, amante de livros e colecionadora de batons coloridos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!