Ex-baterista do Foo Fighters fala sobre motivo de sua saída

William Goldsmith, ex-baterista do Foo Fighters, concedeu uma entrevista ao Daily Mail recentemente onde falou sobre sua conturbada saída da banda, que foi marcada por um desentendimento com Dave Grohl.

“Empresários, produtores e Dave, eu acho que todos eles queriam que Dave tocasse bateria naquele disco [“Sunny Day Real Estate”]. Eu estaria bem com isso se fosse metade ele e metade eu. Ou mesmo se tivesse existido algum tipo de comunicação sobre o que eles estavam fazendo. Mas eles basicamente me arrastaram pelo carvão. Foi brutal e eu acho que talvez o produtor estava esperando que eu desistisse mas eu não desisti”, disse ele.

O disco citado, que completa 20 anos em 2017, teve a maior parte da bateria regravada por Grohl. Goldsmith foi creditado apenas nas canções “Doll” e “Up in Arms”, mas ele diz ter tocado também na faixa “My Poor Brain”.

Após o ocorrido, Dave queria que William continuasse em tour com o Foo Fighters, mas o baterista afirma não ter aceitado porque queria criar música, não fazer dinheiro. Sobre uma possível reconciliação, Goldsmith disse: “Eu tenho tido a impressão de que ele se sente mal por como as coisas aconteceram. Se ele se sente mal por isso, então por que ele não tentou entrar em contato comigo? Tudo o que ele teria que fazer era sentar e conversar comigo”.

Deixe seu comentário no final da página, marque aquele seu amigo que também curte o Foo Fighters, e acompanhe a Nação da Música nas Redes Sociais: Facebook, Twitter, Spotify e Instagram.

COMPARTILHAR

DEIXE SEU COMENTÁRIO!