Resenha: “Wake Up” (2015) – The Vamps

worldtour_thevamps

Aproveitando que o The Vamps em breve estará se apresentando no Brasil, nada melhor do que fazer uma resenha do seu mais recente trabalho.

O disco “Wake Up”, lançado no dia 27 de setembro de 2015, é o segundo álbum de estúdio da banda britânica formada em 2012. Eu costumava dizer, logo no começo da carreira, que eles seriam o novo McFly e hoje podemos ver o quanto a música deles amadureceu, desde o disco de estreia “Meet The Vamps”.

O disco é aberto pela faixa “Wake Up”. A canção é bem empolgada, com uma boa batida e que descreve bem o que eu já vi de vídeos de apresentações ao vivo da banda. A energia então faz com que esse começo do disco seja divertido e cative quem está ouvindo com um refrão que em poucos segundos já pode ser memorizado. “Rest Your Love” tem uma construção instrumental que funcionou bem para a faixa. Além disso, podemos nos atentar um pouco mais para os vocais do Brad Simpson. A canção é bem dançante, mas nos seus últimos segundos já se torna um pouco repetitiva. Na sequência temos “Volcano”. Por um momento em parei e pensei: “eu estou ouvindo The Vamps mesmo?”. A canção tem participação do Silentó, traz um novo estilo da banda, mas que agrada muito. O refrão é um dos que mais se destaca no disco. Depois de um pouco de agito, “Million Words” acalma com seu instrumental semiacústico. É algo que eu já esperava da banda, mas que vale a pena ouvir. (Até traz um sentimento de nostalgia parecido com Hey There Delilah).

“Windmills” parece um pouco bagunçada para mim. As frases rápidas, as batidas, não pareceram muito certas juntas. “Stolen Moments” é outra faixa genérica que quebra um pouco da animação que estava vindo no começo do disco. Apesar disso, é um bom momento de destaque para o vocalista. “I Found a Girl” é daquelas faixas divertidas que traz um plot twist em sua letra que surpreende. Apesar disso, sua melodia não cativa tanto. “Be With You” não é uma faixa que se destaca no disco, porém os vocais agudos do Brad sim.

Na sequência vem “Burn” que começa com um riff de guitarra convidativo. A bateria também constrói o verso de uma maneira diferente e agradável. “Cheater” tem uma letra legal – principalmente pra quem precisa contar umas verdades para alguns amigos – o refrão é meio chiclete, mas já vai trazendo um pouco do ânimo que tivemos logo no começo do CD. “Boy Without a Car” tem uma bela introdução com a guitarra e uma melodia que conquista quem está ouvindo e uma letra que a maioria das adolescentes deveriam refletir. A versão padrão do álbum se encerra com a canção “Held By Me”. Uma boa forma de encerrar esse ciclo, depois de alguns altos e baixos que pudemos ouvir.

Tracklist:

1. “Wake Up”
2. “Rest Your Love”
3. “Volcano (feat. Silentó)”
4. “Million Words”
5. “Windmills”
6. “Stolen Moments”
7. “I Found a Girl”
8. “Be With You”
9. “Burn”
10. “Cheater”
11. “Boy Without a Car”
12. “Held By Me”

Nota: 8

Não deixe de curtir a nossa página no Facebook, e acompanhar as novidades do The Vamps e da Nação da Música

COMPARTILHAR
Andressa Oliveira

Metade campograndense, metade paulistana, jornalista e apaixonada por música. Escreve para o Nação da Música desde 2012, estuda música desde pequena, é obcecada por reality shows musicais, odeia atender telefone, mas não vive sem seu celular. Seriados, livros e comida também não podem faltar em sua vida.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!