Dave Grohl
Em entrevista para a emissora americana CBS no último domingo (8), Dave Grohl, vocalista do Foo Fighters, contou os motivos pelos quais não cantava e compunha nos tempos de Nirvana.

“Eu não gostava da minha voz”, admitiu o vocalista. Grohl disse que não tinha a confiança necessária na época para desempenhar outras funções além da bateria. “Quando eu gravei o que se tornaria o primeiro álbum do Foo Fighters [em 1995], eu não achava que era um disco”, disse. “Eu só queria levantar a tocar algo, mesmo que ninguém nunca ouvisse”, contou para Anthony Mason, do Sunday Morning da CBS.

“Bem antes disso, eu gravava músicas por conta própria e nunca deixava ninguém ouvir, porque eu não achava que elas eram boas o suficiente”, admitiu. “Eu não gostava da minha voz, eu não me considerava um compositor e eu estava em uma banda com um dos melhores compositores da nossa geração. Eu não queria estragar aquilo”, disse Dave Grohl.

O cantor ainda contou sobre como a música o ajudou na perda de Cobain. “Tinha uma pessoa que nós conhecíamos de Seattle. Depois que o Kurt morreu ele me escreveu uma carta que dizia: ‘Eu sei que você não sente agora, mas um dia a música irá voltar e te curar'”, contou.

Grohl ainda falou sobre o sucesso do Foo Fighters e dos conselhos do seu pai. “Anos atrás, quando eu era pequeno, meu pai disse para eu aproveitar todo o dinheiro e sucesso como se fosse o último, porque não iria durar”, afirmou ao entrevistador. “Então, toda vez que nós fazemos um novo disco do Foo Fighers, eu penso ‘bom, se esse fosse o último…'”, concluiu.

Deixe seu comentário no final da página, marque aquele seu amigo que também curte Dave Grohl, e acompanhe a Nação da Música nas Redes Sociais: Facebook, Twitter, Spotify e Instagram.