billboard music awards
Foto: Reprodução/Instagram

Na última sexta-feira (02), Drake surpreendeu os fãs liberando, repentinamente, “Care Package”, uma seleção de 17 músicas já existentes do cantor, mas que não estavam presentes em álbuns de estúdio prévios.

As faixas foram lançadas entre 2011 e 2016 e estavam presentes em diversos locais da internet e, também, mixtapes. A ideia do cantor foi reuni-las, com algumas modificações, e lançá-las nos serviços de streaming para que todos pudessem relembrar os singles e curtir um estilo mais antigo do músico. Além disso, a coletânea vem acompanhada de diversas participações especiais, com destaques para Beyoncé, J. Cole, Rick Ross, James Fauntleroy, entre outros.

Ela logo se inicia com “Dreams Money Can Buy”, liberada na internet em 2011. Originalmente seria parte de “Take Care”, segunda produção de estúdio do canadense, porém foi cortada da lista final. Iniciando-se com sample da canção “BTSTU”, de Jai Paul, expressando uma mensagem forte com os dizeres “Não mexa comigo”, contradizendo a serenidade das mesmas, Aubrey (nome real do cantor) fala sobre um sonho contendo sucesso na sua carreira, com poderio financeiro e muitas paixões. As batidas são simples, evidenciando a voz limpa do músico, ora rimando e ora melódica.

Em seguida tem-se “The Motion”, em parceria com Sampha, lançada originalmente na conta oficial do cantor no serviço SoundCloud, antecipando seu álbum “Nothing Was The Same”. Nela vemos o rapper mais triste, desabafando sobre relacionamentos acabados e amizades falsas. O instrumental se inicia com um sample cru e Drake em um tom mais melódico, mostrando sua afinação. A batida é dividia em duas partes, sendo a primeira mais simples e, a segunda, com um boom bap, finalizando com um vocal feminino de fundo.

Em “How About Now”, o cantor retoma as conversas com uma ex namorada, comparando sua situação antes e depois. A canção, produzida por Boi-1da e Jordan Evans, foi vazada em 2014 por hackers, sendo lançada uma semana antes de sua data oficial. A faixa é lenta, com batidas espaçadas e calmas, acompanhados de samples de fundo e backing vocals distorcidos.

Novamente apostando na calmaria e temas sentimentais envolvendo relacionamentos, “Trust Issues” tem um estilo que é marca registrada do canadense e suas músicas lentas. Inicia-se com sua voz robotizada e, logo após, seu vocal melódico e flow suave, interpretando uma parte da faixa “I’m On One”, de DJ Khaled, continuando desta maneira por todo o single. Assim como “Dreams Money Can Buy”, foi lançada em 2011 antes de seu álbum “Take Care”.

- PUBLICIDADE -

“Days in the East”, lançada em 2014, é uma love song calma, com batidas simples e sonoridades ecoadas de fundo. A canção é apontada como feita para Rihanna, com quem o cantor já teve um relacionamento, e na faixa está presente um sample de “Stay”, da artista.

Com samples de “Doo Wop (That Thing)”, de Lauryn Hill, “Draft Day” apresenta o boom bap novamente, com o artista entregando um flow mais rápido e mostrando o quão alto está no ranking de rappers, comparando-se com diversos nomes do basquete e futebol americano, usando o “draft day” como exemplo, que seria o dia em que novos jogadores são escolhidos para ingressarem nestas ligas.

Lançada originalmente em 2016, “4 PM in Calabasas” é parte de uma série de músicas com AM/PM do cantor, assim como “5 AM in Toronto”, próxima canção da coletânea. A primeira tem batidas mais fortes e flows mais agressivos, sendo uma diss track, ou seja, diretamente apontada a outros artistas em que ele teve algumas desavenças. A segunda veio em 2013, com um flow mais clássico e batidas com samples agudos no meio. A agressividade se mantém, com o canadense deixando claro a sua importância no mundo do rap. Foi a única da série que ganhou um videoclipe oficial.

Puxada para o R&B, “I Get Lonely” é outra love song e volta ao estilo cadenciado e sentimental do cantor. A faixa é baseada em “Fan Mail”, de TLC, porém mais lenta. A batida é simples, com algumas vozes ecoadas e samples de fundo relembrando barulhos de teclado.

- PUBLICIDADE -

“My Side”, produzida por Boi-1da e 40, traz a separação de um casal como tema principal, apostando em sua marca registrada, com um flow mais lento e melódico e letras sentimentais e impactantes. Foi lançada em 2015, servindo como uma faixa bônus de sua mixtape “If You’re Reading This It’s Too Late”.

Acompanhado de J.Cole, “Jodeci Freestyle” aparece em seguida como uma homenagem a Jodeci, famosos no gênero R&B. O estilo boom bap é retomado, com flows impecáveis dos dois rappers. Na faixa, uma pequena gravação da voz do pai do canadense aparece falando sobre a admiração de seu filho pelo referido grupo. Na versão presente em “Care Package”, foi retirado um polêmico verso sobre pessoas com autismo. Na época da canção, os dois rappers se desculparam, conforme você pode ler aqui.

Produzida por Noah “40” Shebib, “Club Paradise” foi lançada em 2011 no blog pessoal do rapper, e é mais um single sentimental e reflexivo, com o cantor apostando no vocal ora  melódico e ora rítmico, com a batida sendo quase que completamente composta apenas por samples. Ele pensa na possibilidade do sucesso atrapalhar em seus relacionamentos. Esta versão sofreu uma alteração em relação a anterior, tendo um trecho de uma entrevista de Bob Marley, presente no final da mesma, retirado.

“Free Spirit”, também produzida por Noah “40” Shebib e lançada em 2011 no blog pessoal de Drake, contém a participação do rapper Rick Ross em versos pesados, com instrumental baseado na canção “I Will Be Your Friend”, de Sade.

Contando um pouco sobre a preocupação e foco em sua carreira, sem saber muito sobre o futuro, “Heat Of The Moment” é mais uma faixa calma do cantor, apostando em batidas leves e sons de vento e instrumentais orgânicos de fundo. Foi lançada em 2013 como uma prevenção, pois o canadense sabia que hackers estavam com a música. Nela encontra-se a segunda participação do pai de Drake, Dennis Graham, conversando com seu filho.

- PUBLICIDADE -

“Girls Love Beyoncé”, com James Fauntley, foi lançada em 2013 e apresenta uma homenagem a canção “Say My Name” de Destiny’s Child, grupo em que a cantora fazia parte no início da carreira. O rapper fala novamente sobre relacionamentos, desta vez mostrando diversas inseguranças.

“Paris Morton Music”, lançada em 2010, é mais uma love song, com homenagem a Paris Morton, modelo estadunidense. Com samples agudos e batida solida, o rapper rima com flow clássico, mesclando com partes melódicas.

O disco se encerra com “Can I”, trazendo uma colaboração entre Drake e Beyoncé. Com batidas evidenciando o grave, lentas, a música é espaçada e traz a cantora repetindo alguns versos de fundo e o artista rimando e, em outros momentos, deixando a “Queen B” a capella.

“Care Package” é uma coletânea sólida e, principalmente, nostálgica, atingindo mais fortemente os fãs de longa data do rapper, não excluindo a possibilidade de agradar novos apreciadores do artista que desejam conhecer mais de seu trabalho. Como as músicas já são conhecidas, não há nenhuma novidade presente, o que deixa o álbum menos vistoso perto dos outros. Sendo assim, serve mais como uma volta ao passado para relembrar os diferentes estilos do canadense e a possibilidade de ter tais faixas facilmente em seu smartphone.

Deixe seu comentário no final dessa publicação, marque seus amigos que também curtem Drake, acompanhe a nossa agenda de shows e a Nação da Música através do Twitter, Facebook, Instagram e Spotify. Muito obrigado pela visita e por ler essa matéria!