“Wild World”: O que esperar do novo álbum do Bastille

Bastille

Já se passaram três anos desde o lançamento do álbum “Bad Blood” e a banda Bastille está pronta para continuar seu sucesso, dessa vez com “Wild World”. Se o primeiro álbum trouxe hits como “Pompeii” e “Things We Lost In The Fire”, o segundo já nos deu “Good Grief”, single que contabiliza mais de 30 milhões de reproduções no Spotify e 5 milhões no YouTube.

“Wild World” será lançado oficialmente nesta sexta-feira (09) e já podemos ter uma noção do que iremos ouvir no trabalho. Além do primeiro single, a contagiante “Good Grief”, os britânicos já liberaram duas outras músicas: “Fake It” e “Send Them Off”. Ao ouvir as três faixas, podemos notar que Bastille continua com o talento de produzir hits e refrões que grudam em nossa cabeça.

Uma das características mais fortes do álbum até o momento são as influências cinematográficas. Os integrantes da banda sempre demonstraram o amor pela sétima arte, mas em “Wild World” as referências estão ainda mais fortes. Começando pela própria capa do disco, ela relembra um poster de filme, desde a foto escolhida até o uso da fonte. Confira:

Para a revista Billboard, o vocalista Dan Smith falou sobre o conceito da capa: “Para mim, a imagem não é sobre o que acabou de acontecer ou o que acontece em seguida. Não é sobre como eles chegaram ali ou como vão descer. É sobre compartilhar um momento – dois amigos existindo naquela fração de segundo naquele mesmo espaço, duas pessoas enquadradas num vasto contexto desta enorme e louca metrópole que nós todos construímos. Eles estão lá por escolha própria”.

E as referências não param na capa. As próprias músicas carregam citações de filmes, por exemplo em “Good Grief” temos uma fala do filme “Weird Science”, de 1985, e em “Fake It”, do curta “Social Seminar: Changing”, de 1971. E pelo jeito será assim com todas as faixas do álbum, como Smith falou em entrevista para o Independent. Além das citações, “Wild World” soará como uma mixtape com muitos estilos diferentes, até mesmo hip-hop, segundo o cantor.

O videoclipe de “Good Grief” também mergulha nas influências cinematográficas, com diversas imagens surreais que surgem na tela. Gravado na Espanha, o clipe já rendeu até polêmica por mostrar os seios de uma mulher e acabou ganhando um versão censurada no final de agosto. Sobre o vídeo, Smith conta ao Independent: “Sou obcecado por filme e cinema e tem muitas coisas sobre estar numa banda onde você tem essas oportunidades doidas e uma delas é fazer esses mini-filmes. Algumas bandas estão bem com o fato de serem filmadas num estúdio fazendo mímica, mas eu acho que é muito mais divertido tentar fazer alguma estranho e diferente”.

Ainda para o Independent, os integrantes comentaram sobre a mudança no som do grupo desde “Bad Blood” e falaram que neste novo trabalho podemos esperar muito sons de guitarra e arranjo de cordas, que não estão presentes no primeiro trabalho do Bastille, além da influência da música eletrônica e hip-hop. Dan Smith também destaca a importância, para eles, da versão estendida de “Wild World”: “Ele tem 19 faixas, a versão deluxe, que estamos considerando como a certa. Mas tem também a versão com 14 faixas para pessoas que não ligam tanto”.

Apesar das mudanças no som, Bastille achou importante continuar com a mesma essência com a qual fizeram sucesso em “Bad Blood”. Para a NME, o vocalista comenta que o co-produtor do novo álbum permaneceu o mesmo, Mike Crew, e conta: “Foi realmente importante para nós progredir e evoluir, mas nós queríamos fazer isso nós mesmos. Não foi sobre incorporar o som de outra pessoa. Eu acho que tem coisas neste álbum que soa como uma banda diferente, mas é porque nós quisermos fazer isso, não porque nós trouxemos outra pessoa que pudesse transferir o que ele faz na gente. Isso nunca nos interessou”.

Para divulgar o álbum, a banda realizou uma performance VEVO especial para os dois primeiros singles de “Wild World”. Com um cenário tecnológico e grande produção, você pode assistir “Good Grief” aqui e “Fake It” abaixo:

A banda também já possui diversos planos para depois do lançamento de “Wild World”. Primeiro, eles farão experiências pop-up nas cidades de Los Angeles, Nova York e Londres, como informaram no Facebook. Ainda não há muitas informações sobre o que os fãs poderão encontrar nos locais, até mesmo porque os endereços dos eventos serão revelados no dia.

Já no dia 14 de setembro, teremos “Help Me Chase Those Seconds”, um documentário sobre o novo álbum e sobre o progresso de Bastille desde seu disco de estreia. O trailer foi liberado nesta segunda-feira (05) e você pode conferir abaixo:

Para quem deseja garantir sua cópia de “Wild World” na pré-venda, ele está disponível no site oficial do Bastille, no iTunes, na Amazon e na HMV. O disco será liberado oficialmente no dia 09 de setembro.

Não deixe de curtir a nossa página no Facebook, e acompanhar as novidades do Bastille e da Nação da Música.

COMPARTILHAR
Marina Moia
Bauruense de coração, é formada em Jornalismo e apaixonada por música desde que se conhece por gente. Acredita que não tem nada como um show para alimentar a alma e levantar o ânimo. É também viciada em seriados e não dispensa uma boa maratona de episódios.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!