Bruno MarsCom ingressos esgotados, Bruno Mars trouxe a turnê “24K” para o Brasil e deu o ponta pé inicial neste sábado (18) com o primeiro de dois shows no Rio de Janeiro, na Praça da Apoteose. A DNCE, banda liderada por Joe Jonas, ficou encarregada pela abertura. No meio de um público eclético, de crianças até senhores, podia se notar alguns fãs do grupo.

Com uma pegada nada convencional, “Kissing Strangers”, parceria com Nicki Minaj, foi a primeira do curto repertório que trouxe canções do disco de estreia do quarteto. Numa noite de muito calor, Joe fazia questão de jogar água para a plateia durante praticamente toda a apresentação. O cantor, inclusive, mencionou que a última vez que esteve no local foi com seus irmãos num show em 2009, quando ainda formavam os Jonas Brothers. “Body Moves” e “Toothbrush” apareceram no set, que também contou com “Do Ya Think I’m Sexy”, de Rod Stewart.

Um medley de covers de “Wannabe” das Spice Girls e “Oops I Did It Again” da Britney Spears mostraram a ótima dinâmica e presença de palco que o grupo tem, conseguindo segurar a atenção da maioria que não conhecia muito bem as canções. O grande hit foi obviamente deixado para o fim, “Cake By The Ocean”, que foi onde a banda obteve maior resposta do público.

Com 20 minutos de atraso, Bruno Mars subiu ao palco de uma Apoteose enlouquecida. Antes do cantor de fato aparecer, mensagens como “Vocês estão prontos?” e “Gritem” eram exibidas no telão. Com um look despojado combinado com o de sua banda (bermuda e camisas com o número 24), o cantor iniciou a apresentação com “Finesse” e já mostrava a grande produção que trouxe com ele.

Um de seus maiores sucessos, “24K Magic”, foi a segunda canção e levantou o público. “Treasure” e “Perm” seguiram com o repertório, e “Calling All My Lovelies” teve direito a solo de guitarra de Bruno e declaração ao Rio, destacando o quanto estava animado em voltar. A surpresa da noite veio em “Versace On The Floor”, seu single mais recente, que apesar de não ser tão popular quanto os outros, teve um coro de vozes absurdamente alto. O som dos fãs era quase ensurdecedor, fazendo com que Mars parasse a canção e pedisse: “Rio, está tudo bem se eu cantar para vocês agora?”

É tudo muito bonito: fogos nos pontos altos das canções e as famosas coreografias que foram certeiras para o novo momento do cantor. Bruno e sua banda, que conta também com os backing vocals que estão sempre ao lado do cantor, mostram precisamente a definição do sincronia e simpatia. Mesmo que grande, a produção não serve como distração: o músico mostra a que veio entrega vocais perfeitos em absolutamente todas as músicas.

- PUBLICIDADE -

O ritmo desacelerou um pouco nas baladas românticas “When I Was Your Man” e “Grenade”, que teve o tom dramático representado por chamas no palco. Em “Just The Way You Are”, o cantor e sua banda se despediram do público mas voltaram minutos depois para finalizar a apresentação com “Locked Out Of Heaven” e finalmente “Uptown Funk”, que contou com a divertida participação de bombeiros no palco.

Deixe seu comentário no final da página, marque aquele seu amigo que também curte DNCE, Bruno Mars, e acompanhe a Nação da Música nas Redes Sociais: Facebook, Twitter, Spotify e Instagram.