Resenha e Fotos: Fresno encerra o ano com show eletrizante em SP

- PUBLICIDADE -

NM


Neste domingo (16), a Fresno realizou, em São Paulo, seu último show de 2018 durante o Convicção Festival. As fotos na galeria a cima, foram tiradas através das lentes de Rafael Strabelli.

O evento criado pela própria banda gaúcha tinha como propósito, segundo o vocalista Lucas Silveira, dar espaço a novos nomes, algo que o cantor disse ser essencial na música e que ele sentiu muita falta quando começou. Eles, inclusive, fizeram show na rua durante a semana passada para atrair pessoas.

O festival iniciou às 17h com o público ainda chegando na Audio, casa de show na zona oeste paulista. Os gaúchos entraram às 21h, mas antes disso passaram pelo palco Os Caras e Carol (formado por Carolina Coutinho, Diego Estteve, João Loroza, Leonardo Maciel e Ruvício Santos), Konai e O Trago (grupo formado pelos ex-integrantes do NX Zero Rafael Mimi, Fi Ricardo, Yuri Nishida, Daniel Weksler e pela vocalista Ale Labelle).

Quando o grupo mais aguardado da noite entrou, o local não estava completamente cheio, quem estava mais próximo da grade ficava um pouco apertado, mas para o fundo havia bastante espaço.

O show foi bem enérgico, trazendo principalmente músicas mais agitadas, misturando antigas com algumas novas que foram lançadas neste ano. Eles começaram a noite com “A Minha História Não Acaba Aqui”, passando por “Redenção” e “Acordar”.

Durante as cinco primeiras canções, não houve muita interação com a plateia, mas durante “Deixe Queimar”, Lucas separou um momento para relembrar de Marielle Franco. O cantor cobrou respostas sobre o caso da vereadora assassinada há nove meses no Rio de Janeiro e que ainda não teve resolução. Neste momento, ele foi amplamente aplaudido e ovacionado.

Uma das faixas novas apresentadas em São Paulo foi “De Verdade”, que tinha sido lançada dois dias antes, na sexta-feira (14). Nesta hora, apenas o vocalista ficou no palco tocando e cantando, confira abaixo um trecho de como foi. Além dela, eles tocaram “Natureza Caos” e “Convicção” que também foram liberadas neste ano.

Outro momento de impacto no show foi quando apresentaram “Eu Sou a Maré Viva” e o cantor falou sobre suas experiências e como os acontecimentos ruins também são importantes para moldar como somos hoje. Veja também um pedaço de como foi esta música.

Foi um show bem animado com, aproximadamente, uma hora e meia de duração. E, claro, com uma banda de quase duas décadas sempre tem quem ache que o setlist não estava completo, mas seria impossível relembrar tudo que já fizeram. No entanto, a escolha das músicas foi muito boa, passou por diversos álbuns da carreira e ainda pôde mostrar um pouco do futuro do grupo, que, de acordo com o próprio vocalista, ano que vem terá disco novo.

Setlist
A Minha História Não Acaba aqui
Redenção
Acordar
Crocodilia
Eu Sei
Deixa Queimar
Manifesto
Milonga
De Verdade
Eu Sou A Maré Viva
Natureza Caos
Infinito
Diga
Convicção
Cada Poça Dessa Rua Tem Um Pouco de Minhas Lágrimas
Revanche
Quebre as Correntes

Muito obrigado pela sua visita e por ler essa matéria! Compartilhe com seus amigos e pessoas que conheça que também curtam Fresno, e acompanhe a Nação da Música através do Twitter, Facebook, Instagram e Spotify. Você também pode receber nossas atualizações diárias através do email - clique aqui e cadastre-se. Caso encontre algum erro de digitação ou informação, por favor nos avise clicando aqui.

Torcemos para que tudo esteja bem com você e toda a sua família. Não se esqueça de lavar bem as mãos e se possível #FicaEmCasa, mas se precisar sair não se esqueça de usar a máscara! Cuide-se.

- PUBLICIDADE -