Em entrevista exclusiva, Detonautas fala sobre novas músicas e Rock in Rio

Foto: Marcos Hermes

1. O Detonautas se destaca por ser uma banda que utiliza muito a internet, inclusive para se comunicar com os fãs, para vocês, qual é a importância da internet no cenário musical atualmente?

Renato:A internet permite que a gente divulgue a banda praticamente em tempo real, além de criar uma proximidade com nossos fãs. Podemos produzir conteúdos fazê-los chegar ao nosso público sem intermediários… É a verdadeira democracia.

2. Esse ano, a banda registrou sua marca na RockWalk Brasil, como foi para vocês colocar a marca dos Detonautas junto a marca de outros grande ícones do rock nacional?

Renato:Para nós foi mais um reconhecimento do nosso trabalho e serve de incentivo para nós continuarmos a fazer o que acreditamos. Aproveitamos para agradecer ao RockWalk pela homenagem.

3. O grupo tem sido alvo de muitas críticas nas redes sociais, qual é a maneira de vocês lidarem com essas críticas?

Renato:Estamos acostumados a isso. Nos afetaria muito mais a indiferença das pessoas. Nos ame ou nos odeie, mas não fique em cima do muro!

4. Qual foi o melhor show da banda até hoje?

Renato:Impossível escolher apenas um show, afinal, já fizemos centenas e centenas de shows… Cada show é único, mudam sempre as condições de acústica, público, clima, fase da lua, momento da banda, set list, etc… O fato é que adoramos a estrada!

5. Todas as músicas dos álbuns são compostas pela própria banda, de onde vêm a inspiração?

Renato:Cada disco nasce de uma forma. Alguns nasceram de ideias simples no violão, outros de jam com a banda toda… Estamos compondo coisas novas após 3 anos do lançamento do último disco inédito, de 2008, que foi O Retorno de Saturno. O CD e DVD acústico de 2009 só teve duas músicas inéditas. Compor é inspiração, mas é muita transpiração também. E é importante estar com a cabeça relaxada para a criatividade rolar.

6. Quais foram são as maiores influencias da banda durante sua carreira?
Renato: O ponto em comum da banda sempre foi o rock dos anos 80 e cada integrante tem suas preferências particulares. Crescemos ouvindo rádio nos anos 80 e o BRock pegou a todos nós nessa época.

7. Em Outubro, o Detonautas irá se apresentar no Rock in Rio, como foi para vocês a confirmação da banda e, quais são as expectativas para o evento?
Renato: Esse sim será a realização de mais um sonho. Todos nós estamos muito felizes com a confirmação do Detonautas e provamos que não é preciso estar superexposto para participar de um festival dessa magnitude. O mais importante é a música, o prestígio, a solidez da carreira…

8. Após a saída do grupo da gravadora Sony, na qual gravaram um álbum de inéditas e um DVD, de que maneira a banda irá trabalhar agora para a gravação e divulgação de novos trabalhos?

Renato: Temos o Mobilia Space (www.mobiliaspace.com.br), estúdio do nosso baterista Fábio Brasil funcionando a todo vapor e estamos gravando as músicas novas lá. Liberdade total e sem taximetro rolando… É o nosso parque de diversões.
A internet será a plataforma de lançamento de músicas e clipes novos, mas também mandaremos para os canais e rádios convencionais. Aqueles que quiserem fortalecer serão bem-vindos. Agora somos 100% independentes e sabemos que temos muito aliados também.

9. Recentemente o Detonautas tem lançado algumas músicas e, inclusive distribuíram a versão feita da música Black in Black do grupo AC/DC em seu site oficial. Qual a previsão do lançamento de um novo álbum de inéditas e, qual novidade pode ser esperada pelos fãs?

Renato: A ideia é ir lançando músicas até o Rock in Rio e depois do festival compilá-las num novo CD. Como estamos vindo de um disco mais tranquilo, vamos buscar o oposto. Um disco de rock com guitarras fortes, baixo e bateria poderosos e letras que tenham algo a dizer e, claro, o imprevisível está sempre rondando… Do nada uma música toma uma direção que não esperávamos e gostamos disso…

10. Esse ano completam cinco anos da morte do Rodrigo Netto, como foi continuar com a banda após a perda do mesmo?

Renato: Não tínhamos outra alternativa mesmo. Manter sua memória viva é manter a banda na estrada e produzindo. Vivemos o luto à nossa maneira e ele sempre fará parte das nossas vidas.

11. Obrigado pela entrevista e, deixem um recado para os fãs e leitores do Nação da Música.

Renato: Cabeça erguida sempre! Lutem pelos seus sonhos e apareçam nos nossos shows para compartilharmos bons momentos regados a muito rock and roll!!!
Ah, e nos acompanhem no twitter: @detonautasRC – www.detonautas.com.br Sucesso a todos vocês!!!

COMPARTILHAR
A redação é comandada por Rafael Strabelli, Editor Chefe e Fundador da Nação da Música, que existe desde 2006. O site possuí mais de 20mil publicações entre notícias, shows, entrevistas, coberturas, resenhas, videoclipes e muito conteúdo exclusivo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!