Especial: The Voice USA (5) – As batalhas continuam

Nesta terça-feira (16) seguimos com as nossas batalhas. Lembrando que perdedores de cada disputa ainda tem a chance de seguir no programa, se forem roubados por outro treinador. Blake Shelton já usou seus dois roubos logo na primeira noite, enquanto Christina Aguilera conseguiu uma nova voz para seu time. Adam e Cee Lo ainda podem utilizar o recurso duas vezes.

- ANUNCIE AQUI -
@nacaodamusica

A disputa que abriu a noite foi dentro do time de Christina Aguilera, que conta com a ajuda de Ed Sheeran nesta fase do programa. O dueto colocou frente a frente o cantor gospel e pop-rock Jacob Poole contra Matthew Schuler, que também vem de um caminho religioso.

- ANUNCIE AQUI -

Matthew entrou para a história do The Voice por ser o candidato a virar quatro cadeiras mais rápido. As duas vozes são muito inspiradas no rock, o que influenciou na escolha de “My Songs Know What You Did In The Dark (Light Em Up)”, do Fall Out Boy, como música para o duelo.

- ANUNCIE AQUI -

O grande desafio de Christina e Ed era conseguir fazer com que as vozes se adaptassem a proposta da música. Após uma incrível apresentação, a decisão de Christina foi por dar a vitória para Matthew. Já Jacob não conseguiu chamar atenção de Adam e Blake.

- ANUNCIE AQUI -

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

Ainda com o rock em destaque na segunda noite de batalhas, tivemos uma disputa no time de Cee Lo Green. O dueto foi da rockeira Kat Robichaud, que tenta no The Voice homenagear a memória do pai que sempre apoiou a sua carreira. Quem acompanhou Kat no palco foi R. Anthony, que abandonou o sonho musical para dedicar-se a família.

- ANUNCIE AQUI -

A música escolhida para a apresentação foi “I Don’t Wanna Miss a Thing”, clássico do Aerosmith. A proposta de Cee Lo e Miguel era que ambos conseguissem atingir o nível emocional necessário para tornar a performance de uma balada como esta ainda mais bonita.

Enquanto Anthony cantou tendo como inspiração todo o apoio que sua esposa dá para sua carreira, Kat seguia a prestar o tributo a seu pai. Após a apresentação emocionante, a vitória foi dada a Kat Robichaud. R. Anthony teve que adiar os seus planos musicais novamente.

- PUBLICIDADE -

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

Com menor destaque na apresentação ao vivo do programa tivemos outra batalha. No time de Cee Lo vimos Cole Vosbury vencer Lupe Carroll na disputa de “Africa”, do Toto. Pelo time de Blake, E.G. Daily venceu Sam Cerniglia no dueto de “Something To Talk About”, de Bonnie Raitt. Na única apresentação do time de Adam na noite, Ashley DuBose se saiu melhor na performance de “Just a Fool”, dos companheiros Christina e Blake, e venceu Justin Blake.

- ANUNCIE AQUI -

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

Encerrando a segunda noite de batalhas tivemos mais uma disputa no time de Blake Shelton. O dueto foi entre Monika Leigh, que chamou atenção dos três rapazes durante as blind auditions com sua incrível voz. Ela cantou com Ray Boudreaux, um dedicado pai de família que quer voltar a dedicar-se ao seu sonho musical.

- ANUNCIE AQUI -

A escolha de Blake para seus pupilos foi “Some Kind f Wonderful”, do The Drifters.  A grande dificuldade na fase de treinamentos foi fazer com que a voz de Monika soasse mais alto, para se adaptar a proposta da música. Enquanto o desafio para Ray era conseguir segurar as notas altas como sua adversária estava fazendo.

O incrível dueto trouxe ao palco do The Voice a proposta de diversão pretendida por Blake. Após a apresentação, Shelton optou por manter em sua equipa a voz de Ray Boudreaux. Mas parece que o desejo das blind auditions seguiu vivo em Adam Levine, que não hesitou em apertar o botão e roubar Monika para sua equipe.

- ANUNCIE AQUI -

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

Vicente Pardo: Editor do Nação da Música desde 2012, formou-se em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas em 2014. A música sempre foi sua paixão e não consegue viver sem ela. É viciado em procurar artistas novos e não consegue se manter ouvindo a mesma coisa por muito tempo. Também é um apaixonado por séries de TV e cultura pop.