A coluna NM Apresenta desta semana traz como destaque uma das mais promissoras bandas do cenário pop-punk atual. O Real Friends, como o próprio nome diz, é formado por amigos que traduzem em suas músicas as aflições e experiências de qualquer jovem. O grupo de Chicago conta com Dan Lambton nos vocais, Dave Knox e Eric Haines nas guitarras, Kyle Fasel no baixo e Brian Blake na bateria.

O Nação da Música bateu um papo exclusivo com o vocalista Dan, que apresentou um pouco do trabalho do Real Friends pra gente. Confira!

Nação da Música: Como que foi a formação do Real Friends? Quando vocês começaram a tocar juntos?

Dan Lambton: Eu conheci o Dave e o Kyle por tocar em shows com outras bandas que eles tinham. Eles se juntaram para escreverem algumas músicas e me chamaram para vermos se seria uma boa combinação e aqui estamos!

Nação da Música: Vi em seu Facebook que vocês descrevem o seu som como “Músicas tristes. Músicas significativas”. Você acredita que essa é a razão pela sua música ser tão cativante? Você acha que hoje em dia temos muitas músicas sem “significado”?

Dan Lambton: (risos) Bom, eu acho que este é só o tipo de música que nós escrevemos. Kyle escreve todas as nossas músicas, e elas consistem em todas as suas frustrações, o que resulta em “triste e significativo”. Nem todo mundo escreve sobre o mesmo tipo de coisas e isso é bom. Só porque elas são transmitidas de forma diferente não significavam que sejam insignificantes. Eles só fazem as coisas de forma diferente.

- PUBLICIDADE -

Nação da Música: Para ter boas músicas tristes é preciso colocar muita emoção em suas letras. Como é o processo de composição do Real Friends? Quais são as suas principais influências?

Dan Lambton: Kyle, Dave e Eric se reúnem para gravar demos de todas as músicas, então Kyle me envia as letras para que eu faça as melodias para as canções. Eu me esforço bastante para me colocar na mesma posição emocional do Kyle, para conseguir colocar isso na música. No que diz respeito as influências, bom, eu gosto muito de bandas como The Starting Line, Circa Survive, City And Colour entre outros.

Nação da Música: Quais são os desafios de ser uma banda independente? Quais as coisas boas e ruins nisso?

Dan Lambton: Pode ser muito difícil, mas extremamente recompensador. É bom porque temos o controle completo sobre a nossa banda, e nós tivemos sorte por não ter que lidar com todos os inconvenientes de ser um artista de uma gravadora. Nós temos fãs incríveis que nos ajudaram imensamente a chegar no lugar que estamos hoje em dia.

- PUBLICIDADE -

Nação da Música: O Real Friends faz parte desta nova e promissora cena do pop-punk. Quando vocês começaram a banda imaginavam ser possível chegar a este ponto?

Dan Lambton: De maneira alguma. Todos nós queríamos estar em uma banda que pudéssemos levar um pouco mais a sério, mas não sério demais. Realmente nunca tivemos grandes objetivos além de conseguir fazer turnês por duas ou três semanas em alguns meses dos ano. Então, tudo que aconteceu além disso destruiu qualquer expectativa que tínhamos para esta banda.

Nação da Música: Vocês recentemente lançaram o “Put Yourself Back Together”, seu novo disco. Como que foi o processo de gravação? Vocês esperavam esta recepção tão positiva?

Dan Lambton: Nós tentamos fazê-lo soar da maneira mais natural possível. Eu definitivamente tentei fazer valer do reverb natural da “live room” do estúdio em que gravamos o disco. Quando nós o lançamos sabíamos que teriam pessoas que não iriam gostar, o que é algo inevitável. Não podemos agradar a todos, mas estamos muito felizes e agradecidos pelas respostas que estamos recebendo até agora.

Nação da Música: Muito obrigado por esta entrevista! Deixem um recado para os fãs brasileiros!

- PUBLICIDADE -

Dan Lambton: Muito obrigado por escutar a gente. Espero que a gente possa fazer shows no Brasil muito em breve!