muse

Chris Wolstenholme, baixista do Muse, contou em entrevista ao Spotify o motivo da banda ter dispensado as influências eletrônicas em seu último álbum “Drones”, que alcançou o topo do UK Charts pela quinta vez.

“Chegamos ao ponto em que as coisas foram se tornando mais e mais difíceis de tocar ao vivo. Foi uma verdadeira dor de cabeça com certas músicas do último álbum para tentar trabalhar todos os arranjos para tocar ao vivo.” disse Wolstenholme.

“Eu acho que para esse álbum nós decidimos que era importante talvez voltar para onde nós começamos de um modo e somente nos concentrarmos em um guitarrista, um baixista e um baterista e ver o quão longe nós poderíamos levar isso”, adicionou.

Não deixe de curtir a nossa página no Facebook, e acompanhar as novidades do Muse e da Nação da Música. Assista a entrevista completa aqui.