Coachella
Reprodução | Facebook

O assédio sexual no Coachella se tornou pauta e rendeu muitos comentários nas redes sociais. Após a Teen Vogue publicar uma reportagem denunciando a cultura do estupro no festival na última quarta-feira (18), diversas mulheres começaram a contar suas próprias experiências nem um pouco agradáveis.

Na matéria, a jornalista Vera Papisona conta que foi vítima de abuso durante o primeiro fim de semana do festival, que aconteceu nos dias 13, 14 e 15 de abril. “Durante as 10 horas em que fiz essa reportagem, eu fui agarrada 22 vezes”, contou a repórter.

Das 54 mulheres que foram entrevistadas, todas tinham alguma história de assédio ou desrespeito para contar. De acordo com Papisona, todas as fontes haviam sofrido algum tipo de violência sexual ou verbal durante os primeiros dias do Coachella deste ano.

Os relatos variam desde xingamentos, apalpadas, tentativas de beijos à força até perseguições. A própria repórter compartilhou que foi seguida por um homem durante o show da banda punk FIDLAR. “Um homem chegou por trás e sussurrou ‘você é uma deusa’ e então esfregou suas mãos na minha cintura e na minha bunda”, ela contou.

A idade das entrevistadas varia desde 16 anos até 27 anos e os relatos são similares aos da jornalista da Teen Vogue. “É assustador e você não pode confiar que as pessoas aleatórias ao seu redor vão te ajudar. E quando os homens são grandes, é ainda mais difícil e mais assustador dizer alguma coisa, porque eles podem ficar bravos e violentos. Se você não é legal com eles, eles podem te machucar”, declarou Reagan, jovem de 16 anos.

A reportagem levou à uma enxurrada de mensagens no Twitter com mulheres declarando que também foram vítimas de assédio durante edições anteriores do Coachella. A produtora de conteúdo Frankie Greek declarou que “no meu primeiro Coachella, um homem em seus 40 anos agarrou os meus peitos e saiu correndo”.

- PUBLICIDADE -

A editora de notícias do site Pedestrian Daily também twitou sua experiência: “fui agarrada no Coachella do ano passado. Cheguei a me virar para gritar com o cara, mas fui levada pela multidão”.

- PUBLICIDADE -

O Coachella não é o primeiro festival de música a ser acusado de ter uma atitude leviana em relação a casos de violência sexual. Em 2016, cinco mulheres denunciaram casos de estupro no Bravalla Festival, na Suécia, e outras 12 sofreram assédio.

Já a Warped Tour passou por um momento polêmico em 2015 quando diversas bandas do line up foram acusadas de conduta sexual imprópria, levando a sérias críticas à produção do evento cujo público é, em sua maioria, composto por adolescentes.

O próximo fim de semana do Coachella 2018 acontece nos dias 20, 21 e 22 de abril, nos Estados Unidos.

Deixe seu comentário no final da página e acompanhe a Nação da Música nas Redes Sociais: FacebookTwitterSpotify e Instagram.