Confira todos os detalhes sobre o julgamento de Ian Watkins, ex-vocalista do LostProphets;

Após se declarar culpado das acusações de abuso sexual de menores, incluindo a tentativa de estupro de um bebê, Ian Watkins também admitiu três acusações de agressão sexual envolvendo crianças e seis outras acusações por possuir e distribuir material contendo pornografia infantil, além de um vídeo envolvendo um ato sexual em um animal.

- ANUNCIE AQUI -
@nacaodamusica

O material apreendido para incriminar Watkins estava em computadores, laptops e celulares. Além dele, outras duas mulheres que também se declararam culpadas por terem abusado de seus próprios filhos(as) e além disso terem oferecido as crianças para que o vocalista pudesse abusar delas.

- ANUNCIE AQUI -

O jornal Huffington Post publicou na quarta-feira(26), uma matéria revelando maiores detalhes sobre o julgamento, a publicação compilou as principais acusações e as provas do julgamento. Em uma das acusações que Watkins se declarou culpado foi de tentar estuprar o bebê de 11 meses de uma das mulheres julgadas e conspirar para estuprar o bebê da outra mulher, ambas foram descritas como fãs de Watkins e da banda.

- ANUNCIE AQUI -

Segundo a promotoria, o vocalista costumava gravar e guardar os casos de abuso. Entre outras acusações estavam a de abusar sexualmente de uma criança de 1 ano e incentivar uma fã a abusar de sua filha durante uma sórdida sessão de videoconferência via Skype.

- ANUNCIE AQUI -

Os detetives conseguiram baixar a gravação de 45 minutos, em que Watkins fala como eles iriam usar o bebê para fazer sexo. No material, que apresenta uma tela dívida, Watkins é filmado se masturbando e chamando a mulher e o bebê dela de “dupla de escravos“.

Os dois também falam sobre ver a criança crescer e como eles iriam fazer com que ela praticasse sexo com animais e usar drogas. A mãe da criança chega a chamar a criança de “seu brinquedo sexual” na conversa, enviando em outra data, uma foto dela praticando sexo oral no bebê.

- ANUNCIE AQUI -

O promotor responsável pelo caso, Chris Clee, também revelou que após a prisão de Watkins, a polícia foi até a casa dele e encontrou uma caixa com fitas cassetes de uma filmadora. As fitas eram gravações do músico com fãs menores de idade, uma das quais ele se encontrou em Nova Iorque, uma garota, que na época tinha 16 anos, entrou em contato com Watkins falando que ela era uma fã da banda e que ainda era virgem e concordou em perder a sua virgindade com o vocalista.

Ela então foi de Boston para Nova Iorque para um hotel onde ele estava hospedado. Vestida com um uniforme escolar, à pedido de Watkins, a garota e ele são filmados fazendo sexo antes dele perguntar para ela “Você gosta de ser a minha vadia de menor?”. Segundo o promotor, o vídeo termina com Ian urinando sobre o rosto da menina e falando para ela “beber tudo”.

- PUBLICIDADE -

O promotor ainda comentou sobre outro vídeo de 17 minutos que registra o encontro de Watkins, uma das mulheres julgadas e o bebê dela. O vídeo que foi encontrado por peritos em um serviço de nuvem na Internet mostra Watkins estuprando o bebê. Posteriormente, os dois adultos trocam e-mails sobre como eles não iriam “pegar leve” com a criança da próxima vez.

Apesar de se declarar culpado diante das acusações, o vocalista afirmou não recordar dos atos registrados em vídeo e chegou a insistir que o estupro da criança não aconteceu, apesar dele estar altamente drogado durante aquele período.

- ANUNCIE AQUI -

O ex-vocalista do Lostprophets, teve seu pedido de fiança negado pela justiça nesta quinta-feira (10). E sua condenação sairá no dia 18 de dezembro.

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

- ANUNCIE AQUI -