10 vezes em que artistas escolheram o mesmo nome para uma música

- PUBLICIDADE -

pearl jam

@nacaodamusica

Você compõe a música, pensa em um arranjo legal, grava os instrumentos em um estúdio super conceituado, aí escolhe o título do single. Meses ou anos depois, alguém tem a mesma ideia e dá o nome igual para uma música. Resultado disso? A sua música não é mais tão única assim e a possibilidade de pedirem uma pensando ser outra é grande.

A Nação da Música traz dez exemplos de músicas que acabaram ganhando o mesmo nome, apesar de serem bem diferentes. Ouça aí e não se confunda, hein?

Alive – De um lado a Sia e do outro, Eddie Vedder. A canção é o primeiro single do Pearl Jam, do álbum Ten, de 1991. Quase 15 anos depois, a cantora americana lançou “Alive”, como um de seus mais recentes singles. Apesar dos estilos diferentes, as músicas trazem letras fortes e interpretações emocionantes dos vocalistas.

Hello – Single que marcou o retorno de Adele ao cenário musical no ano passado, “Hello” é um recorde da cantora. Por mais simples que pareça, o título já havia sido dado a uma canção de Lionel Richie, em 1983. Recentemente, o cantor até brincou com as montagens entre as duas músicas e sugeriu uma possível parceria com a britânica.

Home – Mais um exemplo de uma palavra simples utilizada por dois artistas para darem título a suas músicas. O mais interessante neste caso é que as letras de ambas as canções são muito parecidas. Enquanto o Edward Sharpe cita a casa como o lugar onde se está ao lado de quem se ama, o Phillip Phillips promete fazer de qualquer lugar um lar com sua amada.

Kids – Que o MGMT e o Two Door Cinema Club são da mesma tribo e até compartilham dos mesmos fãs, todo mundo já sabe. Não bastasse isso, as bandas ainda escolheram o mesmo título para uma música. A canção faz parte do álbum de estreia dos dois grupos e fala, obviamente, de jovens. Dois singles dançantes com o mesmo nome. Essa dá para confundir fácil.

Lithium – Composta por Kurt Cobain para o lendário álbum Nevermind do Nirvana, a canção ganhou uma homônima cheia de drama, escrita por Amy Lee para o Evanescence. O intervalo de tempo entre uma música e outra é de mais de 15 anos. Além de terem o mesmo título, os singles também carregam a polêmica em torno da droga de mesmo nome.

One – Com menos de três anos de intervalo entre um lançamento e outro, Metallica e U2 dividem o mesmo título de uma música. A faixa faz parte de importantes álbuns das duas bandas e tratam de temas completamente diferentes. Vale ressaltar que “One” já tem mais de 20 anos e até hoje tocada nos shows tanto do Metallica quanto do U2.

Rehab – Quando ouve-se essa palavra a primeira voz que lembramos é da Amy Winehouse, claro. A faixa foi o primeiro sucesso da inglesa e que acabou a projetando para o mundo todo. Porém, o mesmo título também foi usado por Rihanna em uma parceria com o Justin Timberlake. A diferença entre as canções é nítida, assim como os clipes. De semelhante aqui só a beleza das jovens cantoras.

Shut Up – Estávamos em 2003 quando o Black Eyed Peas mandou todo mundo calar a boca com seu novo single. Mais ou menos um ano depois foi a vez do Simple Plan fazer o mesmo. Enquanto a faixa do Black Eyed Peas é quase uma DR, os canadenses do Simple Plan aproveitaram para descontar a raiva contra aqueles que não acreditavam na banda em seu início.

Sing – Lançada pelo Travis em 2001, como parte de seu terceiro álbum, a faixa ganhou uma homônima composta por Ed Sheeran em 2014. De estilos bem diferentes, a canção foi a responsável por popularizar tanto o cantor quanto a banda inglesa. Outra diferença está nos clipes, já que Ed preferiu bonecos divertidos e japoneses dançantes, enquanto o Travis foi a um jantar sofisticado que acaba em confusão.

Times Like These – A voz mansa e tranquila do Jack Johnson e seu violão fica bem distante dos berros de rockstar de Dave Grohl, porém, ambos cantam uma música de mesmo título. Um dos maiores sucessos do Foo Fighters, a faixa foi uma das primeiras compostas por Dave após sua saída do Nirvana. A música faz parte do álbum One by One, de 2003, mesmo ano em que Johnson lançou On and On, seu segundo CD. Perceberam a semelhança no título dos álbuns também?

Não deixe de curtir a nossa página no Facebook, e acompanhar as novidades da Nação da Música.

- PUBLICIDADE -