Alabama Shakes: baterista é preso por abuso infantil

alabama shakes
Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -
Nação da Música

Na última quarta-feira (24), o baterista Steven William Johnson da banda Alabama Shakes foi preso por abuso infantil no Condado de Limestone, Alabama, com a acusação de “tortura intencional, abuso intencional e espancamento cruel ou maltrato intencional de criança menor de 18 anos”. A informação vem da Associated Press.

- PUBLICIDADE -
Nação da Música

A fiança do músico é de U$21,500 (aproximadamente 124 mil reais) e ainda não houveram comentários por parte da defesa ou da banda, que foi contatada por diversos veículos da imprensa, como AP News, Rolling Stone, The Guardian, entre outros.

- PUBLICIDADE -

Esta não é a primeira vez que Johnson é preso. Em março de 2020, ele se declarou culpado da acusação de violar uma ordem de proteção de violência doméstica da ex-esposa. A vítima afirmou que o ex-marido a ameaçou, assediou, perseguiu e também a enforcou em 2018, quando se divorciaram após três anos de matrimônio. Johnson recebeu uma pena de prisão suspensa de um ano e 24 meses de liberdade condicional.

- PUBLICIDADE -

A banda Alabama Shakes anunciou pausa nas atividades em 2018, quando a vocalista Brittany Howard decidiu seguir carreira solo. Em 2019, ela divulgou o disco de estreia “Jaime”.

- PUBLICIDADE -

Muito obrigado pela sua visita e por ler essa matéria! Compartilhe com seus amigos e pessoas que conheça que também podem se interessar em ver esse texto, e acompanhe a Nação da Música através do Twitter, Google Notícias, Instagram, YouTube, Facebook e Spotify. Você também pode receber nossas atualizações diárias através do email - cadastre-se. Caso encontre algum erro de digitação ou informação, por favor nos avise clicando aqui.

Torcemos para que tudo esteja bem com você e toda a sua família. Não se esqueça de lavar bem as mãos e se possível #FicaEmCasa, mas se precisar sair não se esqueça de usar a máscara! Cuide-se.

Marina Moia
Jornalista e apaixonada por música desde que se conhece por gente.