Bryan Behr e Calum Scott falam sobre faixa colaborativa “da primeira vez”

Bryan Behr e Calum Scott
Foto: Divulgação / Instagram
- ANUNCIE AQUI -
@nacaodamusica

Foi liberado na última quinta-feira (04), o novo EP do cantor Bryan Behr. Intitulado de “Capítulo 2”, o EP chega com cinco faixas contendo participações de Julia Mestre na faixa “mensageiro” e do britânico Calum Scott na faixa “da primeira vez”.

- ANUNCIE AQUI -
@nacaodamusica

A equipe do NM teve o prazer de participar de uma coletiva com Bryan, que também contou com uma breve participação de Calum, e nós te contamos o que rolou por aqui.

- ANUNCIE AQUI -

A primeira parte da coletiva foi com Calum que respondeu algumas perguntas por estar nos Estados Unidos divulgando seu trabalho e não ter muito tempo na agenda. Perguntado sobre como foi o convite para participar da música, Calum contou que ele veio através do selo de sua gravadora e que ele precisou de apenas 20 segundos para perceber nos vocais de Bryan que ele era muito talento.

- ANUNCIE AQUI -

A segunda pergunta respondida por ele foi feita por nós e você confere ela aqui na integra:

- ANUNCIE AQUI -

Guil Anacleto do Nação da Música – Enquanto compositor, eu sinto que tenho dificuldade em traduzir meus sentimentos para as minhas músicas que serão ouvidas por outras pessoas. Como é isso pra vocês?
Calum Scott: Eu não sei como isso funciona pra você, Bryan, mas para mim, eu sempre apenas soube escrever do coração, sabe? Infelizmente, todos nós passamos por desilusões, nos sentimos sozinhos e perdidos. Eu acho que é a vida. Passamos por situações que estão além do nosso controle às vezes e as vezes é péssimo, e acho que existem coisas que precisam ser ditas sobre tornar a dor em algo bonito. Penso que eu, Bryan e outros artistas ao redor do mundo somos abençoados com a oportunidade de falar sobre nossos sentimentos, experiências e tentar transformar tudo numa coisa bonita, para que todos possam se conectar através de uma experiência compartilhada. Você tem que fazer o que é certo, o que vem de forma instintiva quando você é um letrista, compositor ou se você está no universo da música de alguma maneira. Você tem que expressar o que está aí dentro. As vezes terá que arriscar e até parece que você está tirando o seu coração de dentro do peito e dizendo “por favor não odeie isso, mas você tem que tomar esse risco. Creio que para mim e para o Bryan, está dando certo, essa honestidade e sinceridade com a música. Eu diria, leve as coisas no seu próprio ritmo quando lançar músicas, mas acredito que o público pode ver quando está sendo autentico, quando está sendo sincero. Penso que você sinta a mesma coisa, Bryan!

Calum também comentou o quão triste é não poder ter gravado o clipe junto com o Bryan, que acabou sendo lançado através de uma montagem de edição para parecer que ambos os cantores estão no mesmo lugar, mas que espera conhecer o brasileiro muito em breve.

- ANUNCIE AQUI -

Já sobre gravar em português, o britânico disse que foi um desafio e que tem muito respeito pela cultura/língua de outros países e que ouviu muitas vezes na voz do Bryan pra conseguir fazer o mais próximo possível.

Já Bryan contou que entrou numa chamada de vídeo com a gravadora porque disseram pra ele que tinha um problema com a canção e que tocaram a faixa finalizada com os vocais do Calum de surpresa e que ele ficou extasiado ao ouvir porque foi a realização de um sonho.

- PUBLICIDADE -

Behr também comentou sobre seu desejo de que sua música, apesar de cantada em português, seja universal para que até alguém na China que a ouvir, possa se identificar. Ainda sobre seu processo, ele citou que produz música por amor e não pra ser amado e que, assim, as coisas fluem com mais facilidade e sem tanta pressão.

Conseguimos fazer uma pergunta para o Bryan que você também confere aqui na integra:

- ANUNCIE AQUI -

Guil Anacleto do Nação da Música – Como você se vê profissional e artisticamente daqui a cinco anos?
Bryan Behr:
Eu vou estar fazendo música, isso é certo. Acho que nada me atravessa tão forte quanto fazer música, quanto cantar as coisas que eu mesmo vivo, sabe? Acho que antes de cantar, antes de ser um cantor, eu sou um compositor. Eu me vejo muito feliz compondo, eu comigo. Às vezes eu tô lá no meu quarto escrevendo… Por exemplo, eu tô no Rio de Janeiro, tem um sol torrando lá fora, ontem também tinha e eu não pisei lá porque eu tava aqui muito feliz compondo, escrevendo (…) e isso aqui me preenche e eu percebi que eu preciso muito de música pra viver quando eu estive nos meus piores momentos da vida, assim, eu percebi que a música era a única coisa que trazia a luz no fim do túnel pra mim (…) Eu acho que daqui a cinco anos eu não faço a menor ideia de que tipo de disco que eu vou estar produzindo, nem nada mas você podem ter certeza que eu vou estar fazendo música, daqui 5, daqui 10…

Bryan encerrou a coletiva dando uma palhinha do seu lançamento com Calum da música que você confere logo à seguir:

- ANUNCIE AQUI -

Muito obrigado pela sua visita e por ler essa matéria! Compartilhe com seus amigos e pessoas que conheça que também curtam Bryan Behr, e acompanhe a Nação da Música através do Twitter, Google Notícias, Instagram, YouTube, Facebook e Spotify. Você também pode receber nossas atualizações diárias através do email - cadastre-se. Caso encontre algum erro de digitação ou informação, por favor nos avise clicando aqui.

Torcemos para que tudo esteja bem com você e toda a sua família. Não se esqueça de lavar bem as mãos e se possível #FicaEmCasa, mas se precisar sair não se esqueça de usar a máscara! Cuide-se.

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

- ANUNCIE AQUI -
Arquiteto e Urbanista por opção, cantor e amante de música por vocação. Uniu seu gosto por música e por escrita quando viu no Nação da Música a oportunidade de fundir ambos. Não fica sem um bom livro, um celular e um fone de ouvido. Amante de séries, televisão, reality shows, gastronomia, viagens e tenta sempre usar isso a seu favor para estar reunido com família e amigos. Uma grande metamorfose ambulante reunida em um coração sonhador com um toque de humor indispensável.