O vocalista do Foo Fighters Dave Grohl deu uma entrevista para edição de junho da revista British GQ, da qual foi capa. Entre os assuntos abordados, o músico falou sobre o uso de drogas, a política norte-americana e projetos paralelos na música.

Ao jornalista da GQ, Jonathan Heaf, o frontman do Foo Fighters afirmou que nunca fez uso de drogas mais pesadas como cocaína, anfetaminas ou heroína, e que é partidário mesmo é de uma cerveja ou de um Jagermeister antes dos shows. Em 2014, Grohl declarou em uma entrevista que fazia uso constante de maconha para curar sua insônia.

Sobre a política norte-americana, o rockstar revelou o que pensa do atual presidente, Donald Trump. Grohl o classificou com um “grande imbecil”, e disse que sente vergonha da forma como ele conduz seu governo. Ele aproveitou para colocar fim à brincadeira feita há quase um ano, quando deixou em aberto a possibilidade de se candidatar à presidência dos EUA.

Enfático, Grohl cita uma conversa que teve com o baterista do Foo Fighters, Taylor Hawkins que afirmou que o vocalista deveria ser o próximo presidente. ”F*da-se isso. Essa é a minha declaração. Não vou fazer como a Oprah. Não vou dizer, ‘bem, nunca se sabe’”, disse.

Em meio a tantos assuntos polêmicos, o músico revelou também que está pensando em um novo projeto instrumental, que pode se transformar em uma música de 25 minutos. O projeto consiste nele gravando sozinho em seu estúdio em Los Angeles, com várias câmeras, baterias, guitarras e baixos diferentes. Apesar dessa independência toda, Grohl pede que “faça o que fizer, não o chame de um disco solo”.

Deixe seu comentário no final da página, marque aquele seu amigo que também curte Foo Fighters, e acompanhe a Nação da Música nas Redes Sociais: Facebook, Twitter, Spotify e Instagram.