Primeiro de tudo: FELIZ NATAL!

Agora vamos ao que interessa.

A banda é antiga, mas admito que o amor por The Black Keys começou depois de ter visto o clipe de “Lonely Boy” numa playlist qualquer no Youtube. Não sei se foi a dança do cara,  o vídeo em si (que parecia meio amador) ou o vocal poderoso, mas me fez procurar mais músicas do grupo.

Pois bem.

Nasceu o sentimento pela banda, formada por Dan Auerbach (dono do “vocal poderoso” citado acima), Patrick Carney (baterista) e pelo álbum “El Camino”, lançado em 2011, produzido por Danger Mouse, que soube pegar exatamente os pontos fortes do grupo e transformá-los num disco de sucesso. A banda pode ser considerada pop, mas o blues e o rock estão por todo o disco. A bateria é um dos elementos mais importantes, acentuando as músicas. Temos teclado também (tocado por Mouse nesse disco).

É um cd feito para dançar. Não fica descolado nas baladas indies de São Paulo, nas confraternizações e até combate com os já conhecidos hits característicos (e odiados) das festas de casamento e de 15 anos.  É um disco meticuloso, sem ser entediante.

- PUBLICIDADE -

Melhor Música: “Lonely Boy”

Pontos Fortes: a sonoridade do disco, a construção do próprio, com hits intensos e dançantes.

Pontos Fracos: Algumas músicas do álbum lembram muito algumas outras. Um bom exemplo é a “Little Black Submarines”, que ficou bem famosa nas mídias por ser comparada com a “Stairway To Heaven”, do Led Zeppelin.

Não deixe de curtir a nossa página no Facebook, e acompanhar as novidades da Nação da Música. Aproveite para ouvir “El Camino”:

- PUBLICIDADE -