Entrevistamos Elza Soares sobre novos projetos e reconhecimento internacional

Elza Soares
Foto: @RafaelStrabelli / Nação da Música
- ANUNCIE AQUI -
@nacaodamusica

Em junho deste ano, a cantora Elza Soares completou 91 anos de vida e está longe de parar de produzir. Recentemente, ela lançou “Negão Negra” com Flávio Renegado” e também participou de “Meu Bairro Minha Língua”, de Vinicius Terra.

- ANUNCIE AQUI -
@nacaodamusica

Pouco depois do aniversário da artista, a Nação da Música teve a oportunidade de conversar com ela sobre os planos que ela tem para este ano, o reconhecimento internacional da instituição BeyGOOD e também sobre os álbuns dos anos 70 que foram disponibilizados nas plataformas digitais.

- ANUNCIE AQUI -

Entrevista por Marina Moia.

- ANUNCIE AQUI -

————————————– Leia a íntegra:
Olá, Elza! Obrigada por falar com a Nação da Música. Feliz aniversário atrasado! Como foi comemorar os 91 anos de vida?
Elza Soares: Nação da Música, é um prazer imenso estar falando com vocês! Temos que comemorar sempre. A vida tem sido difícil, mas vai passando e a gente vai comemorando.

- ANUNCIE AQUI -

O último um ano e meio tem sido bem turbulento por causa da pandemia. Como este período tem sido para você? Criativamente falando, você se sente mais inspirada e produtiva? Porque você não deixou de lançar materiais durante esse tempo.
Elza Soares: Eu acho que pra todos nós tem sido difícil né?! Afastada do palco, da família, dos amigos. É uma coisa bem difícil, mas que vai passando. Eu sempre digo que o que é bom passa, então o que é ruim vai passar também, lógico! E claro, estou sempre produzindo, em casa tranquila, então dá pra produzir mais.

Falando em novos materiais, já tem planos para um novo disco, para suceder o grande “Planeta Fome”?
Elza Soares: Ainda vem muito mais coisa por aí! Os planos continuam sempre. Temos planos pra sempre na vida. Planos para novos discos, novas gravações, temos planos pra tudo. Enquanto tiver vida, tem planos, tem realizações, é lógico.

- ANUNCIE AQUI -

Em abril, a gravadora Deck disponibilizou cinco álbuns lançados nos anos 70 por você, que estavam fora dos catálogos de aplicativos de música. Como é ter esses discos disponíveis para a nova geração e de maneiras mais acessíveis?
Elza Soares: Muito bom, né gente? Um salve a tecnologia para salvar esse trabalho, essa coisa boa. Muito bom. São filhos que a gente vai colocando no mundo e agora está aí pra todo mundo ouvir.

Recentemente, você foi homenageada pela instituição BeyGOOD, da Beyoncé, bem no dia do seu aniversário! Como foi ter esse reconhecimento de uma artista internacional que você admira tanto?
Elza Soares: Muito bom a gente ser reconhecida lá fora. É muito importante para todos nós. Eu estou muito feliz por esse reconhecimento. Eu acho que isso é um trabalho que se deve abraçar e agradecer a Deus por tudo isso.

- PUBLICIDADE -

Gostaria de mandar um recado aos seus fãs e aos leitores da Nação da Música?
Elza Soares: Saudade de vocês! Saudade do palco. Mas estamos passando por isso e logo estaremos juntos se Deus quiser! Um beijo, Nação da Música! Muito obrigada!

Muito obrigado pela sua visita e por ler essa matéria! Compartilhe com seus amigos e pessoas que conheça que também curtam Elza Soares, e acompanhe a Nação da Música através do Twitter, Google Notícias, Instagram, YouTube, Facebook e Spotify. Você também pode receber nossas atualizações diárias através do email - cadastre-se. Caso encontre algum erro de digitação ou informação, por favor nos avise clicando aqui.

Torcemos para que tudo esteja bem com você e sua família. Não se esqueça que a vacinação contra a COVID já está disponível em todo o Brasil. Aqueles que já receberam a 1ª e a 2ª dose, lembrem-se de tomar a dose complementar e mesmo após vacinação completa, é necessário seguir as medidas de cuidado necessárias para contermos o coronavírus. Cuide-se!

- ANUNCIE AQUI -

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

Jornalista e apaixonada por música desde que se conhece por gente.