Exclusivo: Aline Muniz lança “Brazilian Pop Music” e fala sobre o álbum

Foto: Alexia Magalhães

Nessa sexta-feira (02) Aline Muniz está lançando o quarto álbum da sua carreira, intitulado “Brazilian Pop Music”.

O trabalho é um copilado com 16 faixas, trazendo desde regravações de grandes sucessos internacionais e nacionais, versões, e também duas músicas autorais, “Pra Que Ficar Sozinho” e “Porque Era Amor”, a primeira ganhando videoclipe divulgado junto nesta sexta (02).

A Nação da Música aproveitou pra conversar com a Aline sobre o lançamento, sua carreira, influências e mais.

Entrevista feita por Juliana Izaias.

————————————————————————————————————— Leia a entrevista
– Como o nome “Brazilian Pop Music” define o trabalho?

Aline Muniz: Eu acredito que o POP e a sofisticação podem andar juntos. Os gêneros ficaram bem confusos ultimamente, afinal tudo pode ser POP. Mas o importante é que seja de qualidade.
O Brazilian POP Music tem esse cuidado com letras, melodias, arranjos…Tem a bagagem brasileira e é atual.

– Como foi o processo de escolha das canções que seriam regravadas e ganhariam novas versões para o álbum?

Aline Muniz: Quem coordenou a seleção de músicas desse trabalho foi o grande produtor Béco Dranoff. Ele fez a consultoria artística usando o conhecimento de quem vive a 25 anos em NY, mas estuda muito a música brasileira. Algumas regravações já estavam no meu set list, mas nunca tinham sido gravadas, como a “Tempos Modernos” e a “Jack Soul Brasileiro”, o que eu acho que coube perfeitamente num disco que tem o intuito de me representar fora do país. A “Ribbon In The Sky” foi escolhida por ter granjeado um arranjo intimista e descontraído. E, por ultimo, mas não menos importante vem a “Mensaje De Amor”, uma versão desafiadora cantada em espanhol.

– Por que “Pra Que Ficar Sozinho” foi escolhido como primeiro single do trabalho? E como foi a produção do videoclipe?

Aline Muniz: Pra todo mundo escutava essa música me dizia que o refrão é daqueles que fica na cabeça, foi assim que ela foi ganhando cada vez mais importância no repertório, porque ela também não saía da minha cabeça .
O tema dessa música é bem forte pra mim porque mostra o lado bom de se ter alguém pra dividir.

– E sobre as faixas autorais, o que te inspira na hora de compor?

Aline Muniz: De repente alguns temas me pegam e eu fico pensando tanto neles que acabam virando música. Não tem uma regra. Pode ser um caso de amor, de amizade, de um comportamento que me chamou atenção.

Eu observo muito e acho que a vida de uma forma geral em inspira. O ser humano é maravilhosamente complexo, então tem muita letra de música pra tirar daí.

Esse é seu quarto álbum de estúdio. Como você vê essa transição de um para o outro até chegar a este?

Aline Muniz: Cada disco reflete meu momento pessoal, as transições musicais são naturais. O meu trabalho está muito conectado a minha vida pessoal então tudo isso aparece nas músicas,as BPM tem letras que são muito significativas pra mim. Eu vejo isso como o reflexo desse meu momento de repensar muitas coisas, de analisar o que realmente é importante e faz sentido na minha vida.

Gostaria de deixar um recado para os leitores da Nação da Música?

Aline Muniz: Quero deixar um beijo pra todos que acreditam na música, que pesquisam, que buscam conhecer mais do que é mostrado, procuram novos artistas, se envolvem com suas histórias.Isso é tão importante, porque a música é só um pedacinho (ou o resultado organizado) de uma avalanche de ideias e inspirações.

Você pode ouvir “Brazilian Pop Music” nas principais plataformas de streaming como Spotify, Deezer, ou no player abaixo.

Deixe seu comentário no final da página, marque aquele seu amigo que também curte a Aline Muniz, e acompanhe a Nação da Música nas Redes Sociais: Facebook, Twitter, Spotify e Instagram. Confira:


COMPARTILHAR
Juliana Izaias
Prefere ser chamada de Ju, estudante de jornalismo, apaixonada por música, festivais, seriados, gatos e Arctic Monkeys.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!