Freddie Mercury
Divulgação

Capa da revista britânica “Attitude” em setembro, Rami Malek respondeu às críticas que afirmam que o filme “Bohemian Rhapsody” apaga a bissexualidade de Freddie Mercury.

 

Segundo o NME, reprovação acontece desde maio, quando o primeiro teaser do filme saiu. O produtor e roteirista, Bryan Fuller, levou ao seu Twitter suas preocupações. “Alguém mais está irritado pelo fato do trailer de #BohemianRhapsody que mostra a superestrela gay/bi Freddie Mercury flertando com uma mulher mas sem indicações do seu amor por homens?”, escreveu ele.

“Eu sinto que o trailer está apagando a identidade queer dele. Se eles estivessem orgulhosos de sua bissexualidade, eles teriam indicado que ele era bissexual”, continuou Fuller. Todos esses questionamentos aconteceram em maio, mas elas levaram os próprios fãs a repercutirem o assunto e o deixarem vivo por tanto tempo.

- PUBLICIDADE -

Tão vivo que Rami Malek, intérprete de Freddie Mercury no filme, sentiu que deveria responder. “É uma pena que as pessoas estejam fazendo comentários depois de um minuto de trailer que você só quer mostrar a música. É difícil”, disse Malek. “Primeiro, deixe-me dizer que não acho que o filme evite sua sexualidade ou sua doença, que é obviamente a AIDS. Eu não sei como você pode evitar isso, ou se alguém sequer iria querer. É um pouco absurdo que alguém esteja julgando isso de um trailer de um minuto”, completou.

Elaborando sobre como o longa aborda a batalha do cantor com o HIV, ele acrescentou: “O filme precisava abordar isso de uma maneira delicada. Você não pode fugir. Foi um momento importante para se ter no filme, que no final é muito triste, mas também fortalecedor de alguma forma”, explica o ator.

“Isso mostra o quanto os seres humanos podem ser resilientes e o quanto confiamos na força de nossos amigos e familiares para nos fazer passar por tempos difíceis. Esta pandemia ainda é uma ameaça terrível para tantas pessoas no mundo. É uma realidade para muitas pessoas, eu acho que seria uma vergonha não abordar isso”, encerrou.

O filme irá fazer uma linha do tempo dos 15 anos entre a formação da banda Queen e uma das suas performances mais memoráveis ao vivo no Wembley Stadium em 1985. Será na Wembley Arena, inclusive, que a biografia receberá uma premiere. O longa tem data de lançamento marcada para o dia 24 de outubro no Reino Unido. A previsão é que “Bohemian Rhapsody” estreie no Brasil no dia 1º de novembro de 2018.

- PUBLICIDADE -
Deixe seu comentário no final da página, marque aquele seu amigo que também curte Freddie Mercury, Queen e Rami Malek, e acompanhe a Nação da Música nas Redes Sociais: Facebook, Twitter, Spotify e Instagram.