Resenha: Five Finger Death Punch faz fãs pularem no Rio de Janeiro

Depois de muita espera, o grupo Five Finger Death Punch fez seu primeiro show no Brasil! A apresentação de estréia aconteceu no Rio de Janeiro e levou o publico à loucura.

A casa não estava lotada – tinha uma parte coberta para se tornar menor – mas nada intimidou os fãs, que foram entrando aos poucos, e logo as inúmeras camisetas pretas com estampa de banda tomaram conta do Vivo Rio. O público era bastante misto, em maioria homens, mas era possível ver muitos casais, também com a camisetas de bandas como Metallica, Pantera, Disturbed e Iron Maiden.

A abertura ficou por conta da banda Hatebreed, que entrou por volta das 20:30. A maioria das pessoas ainda estava entrando e comprando suas cervejas – eu ainda nem tinha entrado na fila – mas foi só o vocalista Jamey Jasta começar a cantar que todos começaram a curtir o show.

Os americanos, que já tocaram no Circo Voador em 2014, botaram todos para balançar as cabeças, misturando musicas mais antigas como “Destroy Everything” e “This is Now” com algumas músicas do seu último álbum “The Concrete Confessional”, lançado em 2016.

O público já estava animado e ansioso, mas por volta das 21:45 começou a apresentação do Five Finger Death Punch com a introdução “Mad As Hell”. A banda deu sequência com “Lift Me Up” e era possível ouvir todos cantando junto com Ivan Moody e criando as primeiras rodas punk do show.

O setlist foi bem parecido com o que a banda já vinha apresentando em outros shows, contando com o cover de Bad Company e unindo musicas de álbuns mais antigos, como “Never Enough” – que está no primeiro CD da banda “The Way of the Fist” -, algumas versões em acústico, como “Wrong Side Of The Heaven” e “Remember Everything”, e faixas do último trabalho “Got Your Six”, lançado em 2015.

Logo no início do show, o vocalista avisou que a apresentação seria gravada, o que empolgou ainda mais os fãs, que depois foram à loucura quando a banda, antes de tocar “Bad Company”, apresentou pequenos pedaços dos clássicos “Crazy Train”, “Walk” e “Smoke On The Water”.

Durante todo o show, os integrantes interagiram com o público fazendo brincadeiras, falando sobre sua primeira vez no Brasil, incentivando as rodinhas punk e até chamaram três pessoas no palco enquanto tocavam “Burn Mf”. A interação de todos era muito forte e durante toda a apresentação os fãs cantavam, gritavam e davam socos no ar .

O final do show aconteceu quando o Five Finger Death Punch tocou “The Bleeding” e, nesse momento, o grupo pediu para o público levantar o celular e agradeceu mais uma vez a presença de todos. Logo após o final da música, a banda jogou palhetas e foi deixando o palco ao som de “The House Of the Rising Sun”, o maior cover feito pela banda. Os fãs esperaram até o final da música para aplaudir e começarem a deixar a casa.

O Five Finger Death Punch ainda se apresenta hoje (dia 11) na Esplanada do Mineirão, em Belo Horizonte, e se junta novamente ao Hatebreed para um show nesse sábado (13) no Maximus Festival com outras bandas como Linkin Park, Ghost e Prophets Of Rage, que também se apresenta no Rio de Janeiro nesse sexta (12), como você viu aqui.

Confira o Setlist:

Intro: Mad As Hell
Lift Me Up
Never Enough
Wash it all Away
You Got Six (chris kael no vocal)
Crazy train/Walk/Smoke on the Water
Bad Company
Jekyll and Hyde
Solo de bateria
Burn Mf
Wrong Side Of Heaven (acústica)
Remember Everything (acústica)
Coming Down
Under and Over It
The Bleeding
Fechamento: Yhe House Of The Rising Sun

Deixe seu comentário no final da página, marque aquele seu amigo que também curte o Five Finger Death Punch, e acompanhe a Nação da Música nas Redes Sociais: FacebookTwitterSpotify e Instagram.

COMPARTILHAR

DEIXE SEU COMENTÁRIO!