Noah Cyrus
Foto: Reprodução/Facebook

No dia 21 de setembro de 2018 Noah Cyrus lançou seu primeiro EP com o nome “Good Cry”. Como o próprio nome anuncia, o trabalho é focado na tristeza e prepara o público para o álbum de estreia da irmã de Miley, além de uma possível turnê.

As 6 faixas presentes denunciam uma vibe um pouco diferente dos singles lançados anteriormente, mas a essência continua sendo extremamente pop, tendência que já era observada com “Stay Together”, “Make Me (Cry)” e “Again”, todas divulgadas em 2017.

“Good Cry”, apesar de curto, é muito bem construído com parcerias, sons e alternativas para que as canções se tornem mais interessantes. Ele inicia com “Where Have You Been?” que já vem com um piano distorcido em conjunto com sintetizadores que aumentam a sensibilidade da mensagem transmitida. A letra expressa uma saudade de alguém que Noah já não vê há algum tempo, é possível ouvir ela chorando no 1 minuto e 10 segundos.

“Mad At You”, com Gallant, começa de uma forma marcante com a voz de Noah Cyrus dando o tom, literalmente. A voz dela tem, inclusive, uma força que puxa até a da irmã. A segunda faixa parece ser mais triste, provavelmente por causa da presença do coro, lembrando um pouco o som de Hozier. Talvez essa seja a melhor canção do álbum e a que melhor favorece a cantora, mostrando todo seu potencial.

A faixa-título, “Good Cry”, tem uma pegada mais de balada. Ela é guiada por uma guitarra tanto no dedilhado quanto na batida, que recebe a companhia de elementos eletrônicos. É um bom resumo do EP, já que mistura os elementos tristes e românticos, mas não pende em nenhum momento para o acústico.

- PUBLICIDADE -

A segunda colaboração é com LP em “Punches”, outra música que mostra o potencial vocal de Noah Cyrus. A canção começa bem para baixo, mas vai levantando o ritmo aos poucos, sendo uma das mais pops do trabalho. “Punches” trata de um amor nada egoísta, no qual uma das partes aceita levar “socos” – imagino que figurativos – pela outra pessoa.

“Sadness”, que significa “tristeza”, realça mais uma vez a temática de “Good Cry”. Aqui, Noah diz tentar “ser amiga da própria tristeza”, ou seja, ela trata de uma relação com outro indivíduo, mas também com a depressão e superação. É uma faixa bem repetitiva, mas que tem um grande valor no conjunto da obra.

Para encerrar, todas as camadas são deixadas de lado para que o primeiro acústico apareça. Em apenas voz e violão, diferenciando o trabalho e chamando atenção, “Topanga (Voice Memo)” é totalmente crua e busca deixar naturalidade e talento, assim como a mensagem de verdade, como marca principal do primeiro EP de Noah Cyrus. Mais uma vez, o DNA da família se mostra presente na voz e influência com elementos do country.

Acredito que o EP tenha sido produzido devido a momentos específicos da vida da artista e que ela aproveitou – muito bem – para lançar o trabalho. É uma boa prévia do que esperar de Noah Cyrus, que tem muito potencial, apesar de carregar uma grande sombra no nome.

Deixe seu comentário no final da página, marque aquele seu amigo que também curte Noah Cyrus, e acompanhe a Nação da Música nas Redes Sociais: Facebook, Twitter, Spotify e Instagram.


- PUBLICIDADE -
REVER GERAL
"Good Cry" - Noah Cyrus
Música é uma das minhas coisas favoritas do mundo. Formada em Jornalismo, amante da cultura pop e little monster sofrida.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!