Resenha: Scorpions faz o Rio de Janeiro pular em turnê comemorativa

Foto: Camila Cara / T4F / Divulgação.
Foto: Camila Cara / T4F / Divulgação.
- PUBLICIDADE -
Siga @nacaodamusica no Twitter
- PUBLICIDADE -
Siga @nacaodamusica no Twitter

A turnê de 50 anos da banda Scorpions começou com cancelamento de shows e datas trocadas no Rio, mas finalmente aconteceu. O grupo com um setlist repleto de sucessos, o que alegrou todas as gerações que se uniram na noite de 10/09 para ver a banda.

O show não estava lotado. Quem estava na pista premium conseguiu chegar perto do palco sem muita dificuldade, mas ainda assim era preciso muita calma para conseguir uma vaga no estacionamento ou um lugar mais próximo na pista comum.

- PUBLICIDADE -

Comprei uma pipoca e esperei o show começar, depois de uns minutinhos de atraso ouvi uma sirene, pessoas correndo e logo começou a tocar Going out with a bang, uma das músicas do último álbum, Return to Forever, lançado em 2015. Durante as duas primeiras músicas havia a bandeira do Brasil projetada nos telões.

Dono de uma voz inconfundível, Klaus foi extremamente simpático com o publico, a todo momento ele dava tchau, fazia dancinhas e mandava beijo para os fãs, era um show de alegria e entusiasmo de toda a banda, que fazia questão de interagir o tempo todo.

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

Pra mim, duas palavras descrevem o show do Scorpions no Rio: Carisma e energia. A sintonia da banda com o publico era linda e o ponto alto dessa sintonia foi em um medley acústico com as musicas Always Somewhere / Eye of the Storm / Send Me an Angel. Nesse momento eu vi a pista toda iluminada pelas luzes dos celulares e dava pra ouvir as pessoas gritando do fundo dos pulmões cada frase das músicas, emocionou quem não sabia a letra ou estava ali como acompanhante.

Foto: Camila Cara / T4F / Divulgação.
Foto: Camila Cara / T4F / Divulgação.

O Show continuou com outros hits da carreira do Scorpions, até que a emoção tomou conta de todos nós quando a banda decidiu homenagear Lemmy, ex vocalista do Motörhead que faleceu no final de 2015. Escolheram tocar Overkill, enquanto fotos de Lemmy passavam no telão, a platéia estava lotada de fans do Motörhead, alguns se abraçaram e choraram.

- PUBLICIDADE -

Depois dessas surpresas o entusiasmo da banda continuou e eu confesso que em certo momento do show já estava pulando, rindo e conversando com as pessoas sobre como eles eram incríveis. E foi aí que a banda começou a cantar Cidade Maravilhosa, todo mundo continuou a canção em coro até o fim, até que a banda deu um recado para os fãs, Klaus disse que esse seria o último show no Brasil, obviamente todos reclamaram, até que ele riu e falou que seria o último do ano, mas que eles gostariam de voltar ano que vem, ficamos na torcida.

O final de um show comemorativo de 50 anos não poderia ser com nada menos do que duas das músicas mais famosas da banda, não é? Então o Scorpions voltou para o encore e tocou Still Loving You e a tão famosa Rock You Like a Hurricane, colocando todo mundo pra cantar junto, pular e bater muitas palmas.

Setlist:

- PUBLICIDADE -

Going out With a Bang
Make it Real
The Zoo
Coast To Coast
Top of the bill/ Steamrock Fever/Speeed is coming/Catch Your Train
We Built This House
Delicate Dance
Always Somewhere/ Eye of the Storm/ Send me an Angel (acústicas)
Wind of Change
Rock’n Roll Band
Dynamite
Overkill (Motörhead Cover)
Solo de Bateria
Blackout
No One Like You
Big City Nights

Encore:
Still Loving You
Rock You Like a Hurricane

- PUBLICIDADE -

 

Não deixe de curtir nossa página no Facebook e acompanhar as novidades do Scorpions e da Nação da Música.

- PUBLICIDADE -