Sigrid lança vídeo sentimental para nova versão de “Burning Bridges”

SIGRID
Foto: Divulgação
- ANUNCIE AQUI -
Lubeka

Acompanhando uma nova versão acústica do single “Burning Bridges”, chamada “Up Close, Acoustic”, a cantora Sigrid soltou nessa sexta-feira (01), o videoclipe para essa releitura da canção.

- ANUNCIE AQUI -
Lubeka

Ainda mais emotiva, a artista explora a profundidade sentimental da produção e composição da faixa, que foi originalmente lançada no dia 25 de agosto desse ano, 2021, como você pôde ler aqui na Nação da Música.

- ANUNCIE AQUI -

Falando sobre um relacionamento que é fadado ao desastre, já que seu parceiro “ama queimar pontes”, metáfora da língua inglesa para quebrar laços e conexões, Sigrid caminha ao lado de um rio no vídeo, até um momento em que ela para e começa a cantar “Burning Bridges”. A câmera extremamente próxima do rosto da cantora revela diversos sentimentos enquanto ela se apresenta, dando para perceber cada movimento de suas expressões.

- ANUNCIE AQUI -

A nova versão é crua, retirando todos os elementos eletrônicos que acompanham geralmente as produções de Sigrid e usando somente de um piano e seus vocais impressionantes.

- ANUNCIE AQUI -

Para conferir o videoclipe da versão “Up Close, Acoustic” de “Burning Bridges”, só ir até o player ao final dessa matéria.

Muito obrigado pela sua visita e por ler essa matéria! Compartilhe com seus amigos e pessoas que conheça que também curtam Sigrid, e acompanhe a Nação da Música através do Twitter, Google Notícias, Instagram, YouTube, Facebook e Spotify. Você também pode receber nossas atualizações diárias através do email - cadastre-se. Caso encontre algum erro de digitação ou informação, por favor nos avise clicando aqui.

Torcemos para que tudo esteja bem com você e toda a sua família. Não se esqueça de lavar bem as mãos e se possível #FicaEmCasa, mas se precisar sair não se esqueça de usar a máscara! Cuide-se.

- ANUNCIE AQUI -

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram.

Estudante de jornalismo, não-binárie e apaixonade por música. Sempre aberte para ouvir qualquer gênero, artista ou década. O universo do pop, principalmente hyperpop, k-pop e synthpop, é onde eu vivo e sobrevivo.