The Voice
Foto: Youtube.

Mais uma semana começando no The Voice e dessa vez em uma nova etapa recém criada: as cross battles, que funcionam da seguinte forma: cada participante irá competir com um integrante de outro time, e não do seu próprio, como ocorria anteriormente. A escolha é uma surpresa e os votos agora estão na mão dos telespectadores.

Cada técnico tem direito a um steal e um save, dependendo de qual será o resultado dos votos. A decisão do público será revelada no episódio posterior às apresentações. Vamos ver o que rolou?

Kim Cherry (Team Blake) vs. Betsy Ade (Team Kelly)

O que foi um trunfo para Kim Cherry nas blinds auditions, pode não ter funcionado tão bem nesta etapa da competição. Ela apostou em outro hit clássico, “Poison”, que tem uma pegada mais acelerada e interativa do que a que realmente apresentou.

Por mais que superior à apresentação de Kim, Betsy Ade não teve melhor das escolhas de canção. “You Oughta Know” permitiu que sua voz fosse melhor explorada que a de sua adversária porém com o mesmo defeito: canção rápida demais e que no fim quase a fez ficar sem ar.

Mari Jones (Team Adam) vs. Selkii (Team Blake)

- PUBLICIDADE -

Nesta fase em que os competidores são os responsáveis por escolher suas próprias canções, fica evidente que sem perceber acabam se prejudicando. Mari Jones subiu ao palco com “My My My!”, que é divertida mas difícil de acompanhar e não lhe permite ter nenhum grande momento.

A escolha da canção não foi o que impediu a apresentação de Selkii e sim, provavelmente, o seu nervosismo. Com “Torn” ela tem problemas em manter seu tom e por diversas vezes derrapa, quase perdendo o controle e desafinando.

Lisa Ramey (Team John) vs. Karen Galeria (Team Kelly)

Lisa Ramey escolheu “It Hurt So Bad” para fazer sua estreia nas cross battles e não deixou a desejar. Por mais que em alguns momentos tenha exagerado mais que o necessário, ela teve total controle da canção e fez uma das melhores apresentações da noite.

- PUBLICIDADE -

“Unfaithful” foi a escolha de Karen e tecnicamente falando, sua performance foi sólida e ela conseguiu escolher momentos de destaque para sua voz, o que faltou, em comparação à sua oponente, foi presença de palco.

Matthew Johnson (Team Kelly) vs. Domenic Haynes (Team Adam)

Matthew cantou “Who’s Loving You” e trabalhou toda a emoção e delicadeza a seu favor, somando com sua determinação e voz impecável. A apresentação como um todo foi ótima e o candidato certamente saiu do palco satisfeito.

Domenic foi um dos destaques das blinds e neste episódio ele nos relembrou o motivo. Com “Damn Your Eyes” ele levou a emoção ao limite e explorou o tom rouco e único que sua voz possui.

Presley Tennant (Team Kelly) vs. Kayslin Victoria (Team John)

- PUBLICIDADE -

A escolha de Presley por “Love On the Brain” foi arriscada já que a faixa é bem difícil, mas a jovem fez bem seu trabalho e colocou seu próprio toque na canção. Em alguns momentos ela exagera e quase sai do tom, mas nada que pudesse realmente atrapalhar sua apresentação.

Kayslin foi bem atual ao escolher o hit “Stay” e sua performance de fato foi bem consistente, sua maior dificuldade talvez seja sair de sua zona de conforto.

Celia Babini (Team Adam) vs. Oliv Blu (Team Blake)

Celia é completamente autêntica mas não demonstrou isto em sua performance, que foi ao som de “A Thousand Years”. Uma escolha nada óbvia mas que não lhe deu espaço para realmente exercitar sua voz e mostrar sua originalidade.

Por outro lado, Oliv sobe ao palco do The Voice para performar “Gravity” e não enfrenta nenhum tipo de dificuldade, no que foi uma performance intimista e sem maiores exageros.

Dexter Roberts (Team Blake) vs. Andrew Jannakos (Team Adam)

Dexter nos deu uma performance bem mediana de “Believe”, sem nenhum grande momento ou destaque, onde não assumiu riscos e preferiu jogar seguro.

Andrew é um dos poucos integrantes country de Adam e assim como seu oponente, escolheu “Yours” e não obteve sucesso em se sobressair durante nenhum momento da performance.

Maelyn Jarmon (Team John) vs. Rod Stokes (Team Adam)

Em uma noite de apresentações não muito memoráveis no geral, Maelyn chegou para salvar o episódio e deu sua melhor performance até o momento. Com “Mad World” ela não apenas foi inteligente na escolha da canção, mas também na delicada porém forte abordagem.

“How I Am Supposed To Live Without You” foi a escolha de Rod, que se saiu muito bem e não teve grandes dificuldades durante a performance. Suas chances de vitória talvez fossem maiores se tivesse competido contra algum outro participante.

Deixe seu comentário no final dessa publicação, marque seus amigos que também curtem The Voice, acompanhe a nossa agenda de shows e a Nação da Música através do Twitter, Facebook, Instagram e Spotify. Muito obrigado pela visita e por ler essa matéria!