The Voice
Foto: Youtube.

Nesta segunda-feira vimos as apresentações do top 24 da 16ª temporada do The Voice. Para relembrar, o público que decide quem continua no programa por meio dos votos e compra das músicas no iTunes. E sempre na terça-feira temos o dia de eliminação quando os candidatos com menos votos tem a chance de cantar mais uma vez e através do Instant Save o público decide quem continua e quem sai.

TEAM KELLY

Rod Stokes – O tom de voz de Rod combina perfeitamente com a canção escolhida por ele, “Midnight Rider”, do Allman Brothers Band. Por mais que pareça perdido em alguns momentos, a apresentação no geral foi bem bacana, só nos resta saber se foi o suficiente para levá-lo à próxima fase.

Matthew Johnson – Na cara e na coragem, Matthew apresentou “Ordinary People”, de John Legend. O técnico ficou extremamente impressionado com a performance, que rendeu elogios também de Kelly Clarkson.

Rebecca Howell – Ainda apostando no country, que provou ser seu forte, Rebecca subiu ao palco para uma performance da canção “Wild One”. Sua voz é incrível e no geral, a apresentação foi bem equilibrada, mas seria interessante ouvir algo um pouco diferente da próxima vez.

Presley Tennant – Uma boa escolha foi a de Presley, que optou pela atual “Nothing Breaks Like a Heart” e conseguiu nos mostrar todas as nuances de sua voz, assim como sua personalidade.

- PUBLICIDADE -

Abby Kasch – Mais uma aposta country do Team Kelly subiu ao palco, mas não tão bem sucedida quanto a anterior. Com “I Got The Boy”, Abby acabou perdendo o tempo da canção, desafinou em alguns momentos e transformou a apresentação em uma pequena confusão.

Jej Vinson – “Love Lies” foi a escolhida de Jej e sempre circulando pelo R&B, ele vem de uma sucessão de boas performances, e com esta não foi diferente.

TEAM JOHN

Lisa Ramey – Tomando uma atitude diferente e fugindo do óbvio, Lisa cantou “The Weight”, e seu saldo foi positivo. Mostrando seu poder, ela parece ter aproveitado e se divertido bastante na apresentação.

- PUBLICIDADE -

Jacob Maxwell – Escolhas ousadas nem sempre trabalham em favor do competidor, como foi o caso de Jacob com “Total Eclipse of the Heart”. Enquanto é interessante que se saia da zona de conforto, também é importante saber o que lhe serve bem.

Jimmy Mowery – Com a canção “Youngblood”, do 5 Seconds Of Summer, Jimmy deixa claro em qual caminho pretende seguir e se sai muito bem, sem ter maiores problemas em acompanhar o ritmo da canção.

Celia Babini – “The Chain” tem marcado bastante presença nas últimas edições do The Voice e dessa vez não foi diferente. A canção trabalhou em favor de Celia e reforçou sua imagem para o público e os jurados.

Maelyn Jarmon – Uma das candidatas mais fortes da temporada, Maelyn parece ter plena consciência de seu poder e sobe ao palco exalando confiança. Com “Fallingwater”, ela apresentou mais uma de suas belas performances.

Shawn Sounds – “Higher Ground”, do Stevie Wonder, foi uma escolha e tanto para Shawn, que conseguiu transmitir toda a sua alegria e boa energia, conforme a música pede.

- PUBLICIDADE -

TEAM ADAM LEVINE

Kalvin Jarvis – Apesar de alguns deslizes, Kalvin faz uma apresentação sólida de “Mine”, mas que numa fase decisiva como esta, definitivamente necessitava de um grande momento.

Betsy Ade – Com a escolha nada óbvia de “Are You Gonna Be My Girl”, Betsy agita o palco do The Voice e coloca à prova o fato de que tem diversas facetas e se sai muito bem em todas elas.

Mari Jones – Originalidade é a palavra-chave que define o Team Adam, e desta vez tivemos a oportunidade de assistir Mari performando “Work It Out”, de Beyoncé.

Domenic Haynes – Apesar de ter sido considerado um dos nomes mais memoráveis desta edição, Domenic não impressionou muito com sua apresentação de “Love Is a Losing Game”.

TEAM BLAKE

Andrew Sevener – Após derrotar um trio no episódio anterior, Andrew certamente possui confiança para seguir em frente. Com “Boots On”, ele apresenta uma performance bem enérgica mas não muito original.

Selkii – Apesar de já ter sido apresentada algumas vezes, “Iris” foi uma boa escolha para Selkii, que teve alguns momentos complicados nas Cross Battles. Sua versão foi bem fiel à original e a performance no geral foi sólida.

Oliv Blu – Oliv optou pelo clássico “The Girl From Ipanema” e tornou tudo bem vintage, combinando bem com sua personalidade. Ela se perde um pouco em determinados momentos, mas tem boas recuperações.

Gyth Rigdon – Com uma apresentação simples mas precisa, Gyth performou “I Wanna Be Loved Like That”, e foi incrível.

Kendra Checketts – Kendra escolheu um hit atual, “Bad Guy”, de Billie Eilish. Esta performance em particular foi uma mistura de bons e maus momentos, o que no fim tornou tudo muito confuso.

Carter Lloyd Horne – Mais uma vez, Carter foi bem no que se trata da escolha da canção e fortaleceu sua participação no programa. Com “Heartbreak Hotel”, ele conseguiu exibir o belo tom de sua voz.

Kim Cherry – Kim performou “Waterfalls” e nos mostrou um lado que ainda não tinha sido visto antes, despojado mas sem perder o foco.

Dexter Roberts – Por último assistimos Dexter com “Ain’t Nothing ‘Bout You”. Em termos de cantores country, ele não é o mais forte de seu time, mas cada vez mais vem se superando e pode surpreender.

Deixe seu comentário no final dessa publicação, marque seus amigos que também curtem The Voice, acompanhe a nossa agenda de shows e a Nação da Música através do Twitter, Facebook, Instagram e Spotify. Muito obrigado pela visita e por ler essa matéria!