Vitão, Daya Luz e Selvagens à Procura de Lei falam sobre último show antes da pandemia

Fotos: Daya Luz; Divulgação, Vitão; Divulgação, Rafa Martins; Dario Matos
- ANUNCIE AQUI -
@nacaodamusica

Há mais de um ano que todo o mundo vive a pandemia da Covid-19, que, entre tantos problemas, impossibilitou a realização de shows presenciais e aglomerações. Com isso, nós da Nação da Música convidamos o cantor Vitão, a cantora Daya Luz e a banda Selvagens à Procure de Lei para comentar um pouco sobre os últimos momentos que eles tiveram nos palcos, antes de toda essa prejudicial realidade, em vídeos publicados no nosso canal oficial do YouTube neste domingo (20).

- ANUNCIE AQUI -
@nacaodamusica

A paulista Daya Luz falou sobre suas performances no tradicional bloco de Carnaval Galo da Madrugada, em Recife. A cantora foi chamada para se apresentar nos camarotes do evento, após o sucesso com o single “Foguenta”. “Eu lancei uma música de Carnaval e fui convidada a fazer vários shows nos camarotes do Galo da Madrugada. Foi incrível, aquele calor humano, energia, multidão”.

- ANUNCIE AQUI -

Ela ainda passou uma mensagem de esperança em relação ao período pandêmico vivido: “Eu desejo muito, tenho muita esperança que tudo isso vai passar, e que as pessoas vão conseguir ter mais consciência, vão mudar para melhor, e é assim que a gente segue a vida, com positividade e otimismo sempre”.

- ANUNCIE AQUI -

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

- ANUNCIE AQUI -

Em nome do Selvagens à Procura de Lei, o guitarrista e vocalista Rafael Martins expressou todo o sentimento de angústia vivido pela banda na época em que sofreram a interferência da pandemia. O quarteto de Fortaleza estava em turnê de lançamento do álbum “Paraíso Portátil”, e realizaram três shows no período que antecedeu o surto mundial. Primeiro em São Paulo, depois na sua cidade natal e o último em Salvador.

Sobre o realizado na cidade do Sudeste, ele disse: “Casa lotada, aquela vibe boa de lançar um material novo… Só tenho memórias boas desse dia”. Nas vésperas da apresentação na Bahia, porém, os noticiários já apontavam a possível crise sanitária e a real gravidade do vírus. “Foi um show diferente. Em cima do palco a gente estava em um clima assim, não estava legal, sabe? Tinha gente que estava no público meio ‘cabrebo’, de canto de olho, afastado”. Ele resumiu tudo como “um balde de água fria”.

- ANUNCIE AQUI -

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

Já Vitão contou sobre o show de lançamento do álbum “Ouro”, realizado no Festival Planeta Brasil em janeiro de 2020. O artista paulista estava muito feliz principalmente por ter familiares e grandes amigos presentes naquela apresentação, além de sua relação com os fãs, que já demonstravam conhecer muito bem as faixas do disco recém lançado na época.

- PUBLICIDADE -

Foi muito especial para mim ter a minha família, meus amigos me assistindo ali do palco e vendo aquela energia, aquela troca de energia entre o público e eu. E foi muito especial, saí do palco com a alma lavada”. Confira o vídeo de Vitão ao final dessa publicação, através do player do YouTube disponível.

Muito obrigado pela sua visita e por ler essa matéria! Compartilhe com seus amigos e pessoas que conheça que também podem se interessar em ver esse texto, e acompanhe a Nação da Música através do Twitter, Google Notícias, Instagram, YouTube, Facebook e Spotify. Você também pode receber nossas atualizações diárias através do email - cadastre-se. Caso encontre algum erro de digitação ou informação, por favor nos avise clicando aqui.

Torcemos para que tudo esteja bem com você e sua família. Não se esqueça que a vacinação contra a COVID já está disponível em todo o Brasil. Aqueles que já receberam a 1ª e a 2ª dose, lembrem-se de tomar a dose complementar e mesmo após vacinação completa, é necessário seguir as medidas de cuidado necessárias para contermos o coronavírus. Cuide-se!

- ANUNCIE AQUI -

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

Estudante de jornalismo, baterista e com paixões musicais do rap ao hardcore.