Resenha: “A Brief Inquiry Into Online Relationships” – The 1975 (2018)

- PUBLICIDADE -
The 1975
Divulgação

O próximo álbum do The 1975, “A Brief Inquiry Into Oline Relationships”, sairá no dia 30 de novembro. A Nação da Música foi convidada pela Universal Music para ouvir antes, confira abaixo os detalhes deste novo trabalho.

The 1975” é uma espécie de introdução ao álbum, tem seu início feito com piano, falas e sons que parecem como um ensaio. Logo depois, com força, entra o vocal que, pausadamente, canta breves frases.

Com começo bem agitado, “Give Yourself a Try” é uma boa faixa, traz um riff de guitarra que está presente o tempo todo e uma bateria acelerada. Seu refrão fica bastante na cabeça, repetindo o nome da música diversas vezes. O vocal é suave e algumas vezes fica com menos destaque do que o instrumental ao fundo.

Mudando um pouco o estilo, “TOOTIMETOOTIMETOOTIME” já apresenta mais tons de pop, com toques eletrônicos e aqui a voz aparece mais abafada, sem grande força.

Maior faixa do álbum, “How To Draw/Petrichor” vem com quase seis minutos. Ela começa com sons bem leves e tranquilos e a parte cantada aparece só depois de um minuto e meio, quase que como um coral. Quando ela chega à metade, aí a batida acelera novamente com tons eletrônicos e fica em boa parte com o instrumental.

Love It If We Made It” retoma a força no vocal com versos bem ritmados e um refrão bem cativante, que utiliza muito o agudo. Mais para o meio da música a voz fica um pouco abafada, precedendo um refrão também. Ela é bem agitada e é mais uma boa faixa neste novo trabalho.

Iniciando com um violão, “Be My Mistake” é uma ótima canção que, em seu ritmo, se diferencia bastante do que foi apresentado até então. Ela tem, durante toda a sua duração, um tom bem tranquilo, com vocais mais graves e com volume baixo, tendo o violão como principal foco na parte instrumental.

Sincerity Is Scary” vem com uma base diferenciada e a presença de alguns instrumentos de sopro que deixou a música ainda mais interessante. A voz, assim como o ritmo, é bem calma e feita quase que como um sussurro em determinados momentos.

I Like America & America Likes Me” já começa com uma mudança com relação às duas últimas, seu vocal vem coberto de efeitos e com tom robotizado. Ela retoma toques de eletrônico que apareciam em outras faixas deste álbum.

Trazendo a narração de uma história envolvendo um homem e o meio digital, “The Man Who Married a Robot/Love Theme” é inteiramente falada sem versos cantados. No final, há um breve momento de instrumental.

Voltando com um piano forte no começo, “Inside Your Mind” tem como característica um vocal que usa muito bem o grave nos seus versos. Ela é uma das faixas mais lentas deste disco e combina bem a melodia com o instrumental.

It’s Not Living (If It’s Not With You)” já apresenta um estilo mais romântico em sua letra. Já o ritmo é mais animado, chega até ser um pouco dançante e com um ótimo refrão que fica bastante na cabeça. Ela é uma das melhores músicas dentro do álbum.

Diminuindo novamente a velocidade, “Surrounded By Heads And Bodies” vem com um violão em sua base instrumental e um vocal bem tranquilo. Ela é um pouco parada, não tem grandes alterações, mas é uma boa faixa.

Com um belo piano, “Mine” é mais uma que explora versos calmos com uma voz mais grave. Ela ainda tem, como diferencial, um saxofone ao fundo que acrescenta muito na composição. Musicalmente, é uma das mais bonitas deste disco e agrada bastante.

Mais uma bem romântica, “I Couldn’t Be More In Love” é outra ótima faixa. Ela conta com um refrão com coros de backing vocal que dão uma potência maior a esta parte da música. Além disso, os versos já são cantados de maneira apaixonante e há a presença de um pequeno solo de guitarra que poderia ser até mais explorado, mas não deixa de ser interessante.

E fechando o álbum aparece a faixa “I Always Wanna Die (Sometimes)”. Ela começa com uma base de violão e toques que se repetem durante os versos. Seu refrão é bem cativante com a voz suave e com frases marcantes, foi uma ótima escolha para encerrar o disco.

“A Brief Inquiry Into Online Relationships” é um trabalho muito bom que vem para agradar diversos públicos. Com músicas que caem no eletrônico, algumas com toques no pop/rock e outras bem lentas apenas com piano ao fundo, ele consegue transitar bem em diversos ritmos. Ele é ótimo para ouvir e, justamente por essas mudanças, não é nem um pouco cansativo.

E para quem é fã de The 1975, o grupo estará no Brasil no ano que vem. Junto com Arctic Monkeys, Kendrick Lamar, Sam Smith e Post Malone, eles estarão presentes no Lollapalooza que acontece em São Paulo. Confira o line-up completo do festival aqui.

Muito obrigado pela sua visita e por ler essa matéria! Compartilhe com seus amigos e pessoas que conheça que também curtam The 1975, e acompanhe a Nação da Música através do Twitter, Facebook, Instagram e Spotify. Você também pode receber nossas atualizações diárias através do email - clique aqui e cadastre-se. Caso encontre algum erro de digitação ou informação, por favor nos avise clicando aqui.

Torcemos para que tudo esteja bem com você e toda a sua família. Não se esqueça de lavar bem as mãos e se possível #FicaEmCasa, mas se precisar sair não se esqueça de usar a máscara! Cuide-se.

- PUBLICIDADE -