Resenha: “Anti-Herói” – Jão (2019)

Jão
Divulgação
- PUBLICIDADE -
Melim
- PUBLICIDADE -
Maneva
Melim

Na última quinta-feira (10), o cantor Jão disponibilizou seu segundo álbum de estúdio intitulado “Anti-Herói” nas plataformas de streaming.

- PUBLICIDADE -
Maneva

Composto por dez músicas, o disco é uma produção sobre amor e, com isso, apresenta emoções boas e ruins. Claro, o sofrimento aparece com mais evidência e até quem não está passando por uma fase dessas pode deixar se levar pelo sentimento por causa do jeito que o artista canta e passa sua emoção.

- PUBLICIDADE -

A primeira faixa é “A Última Noite”, que começa com um violão bem tranquilo, a voz suave e grossa do cantor. Ela fica nesse estilo boa parte do tempo, de maneira bem calma, até o último refrão em que ele estica um pouco mais o vocal, levando bem para o agudo e a bateria aparece ao fundo. E logo com ela já podemos ver o tom triste que o disco tem, falando sobre uma noite de despedida com alguém que não deu certo no relacionamento, numa mistura de tristeza e momentos apaixonados.

- PUBLICIDADE -

Triste Pra Sempre” começa com um grupo cantando o nome da canção e aparece o artista, que mantém a linha do vocal da música anterior. No entanto, logo ela acelera e já se percebe que ela é mais envolvente e seu refrão é mais forte. Além disso, a espontaneidade do artista é nítida quando, algumas vezes, um palavrão surge, como se ele deixasse escapar, de maneira natural, algo que não fica forçado.

- PUBLICIDADE -

Enquanto Me Beija” inicia com um belo piano ao fundo, combinando com a leveza da voz de Jão. Nesta, apesar de ele trazer um momento em que está com a pessoa, a letra é sobre o questionamento de quem ela estaria pensando em quanto o beija. A música ainda conta com a força no vocal, em diversos momentos ele grita e que podemos sentir a real emoção que ele quis passar. Essa marca do artista é a principal e uma qualidade ímpar.

Com um ritmo um pouco mais acelerado e mais pop, aparece a “Essa Eu Fiz Pro Nosso Amor”, que, como o nome sugere, é uma declaração para uma relação. O grande destaque vai para a letra, a forma como ele amarra ela do início ao fim ficou muito boa. Ele inicia que a música foi feita para coisas que faziam juntos como ficar bêbados, ouvir Cazuza e uma homenagem à mãe que sempre sabe o que dizer, entre outros pontos. No final, quando diz que se separaram, ele retoma, dizendo que bebe sozinho, que a mãe já fica muda quando ele liga e que chora quando ouve “Exagerado”. Realmente, a criação é boa e juntando com o ritmo cativante, ficou uma excelente faixa.

- PUBLICIDADE -

Uma que muda bem o estilo é “Barcelona”, que começa com uma batida que lembra bem canções espanholas. Nesta, o refrão é bem repetitivo, falando bastante o nome da cidade, o que ajuda a ficar na cabeça. Ela é boa e quebra um pouco com o tom predominante do álbum, ficou muito interessante.

Você Vai Me Destruir” já retorna para o estilo mais conhecido do artista e que está presente em todo o disco. Logo de cara já vemos a força que ela tem, tem tudo para ser um dos grandes destaques desse novo trabalho. Aqui ele canta sobre a pessoa que pode destruí-lo, como os dois se relacionam, mas, aparentemente, não estão na mesma página. Tanto os versos quanto o refrão são muito bons e ficam bastante na cabeça depois de ouvir. Com certeza, um destaque no álbum.

- PUBLICIDADE -

VSF” tem um ritmo mais animado e traz uma mensagem em tom de desabafo. Primeiro, fala da diferença de sentimentos, mas na sequência passa a dizer que já não sente mais nada e que está desapegado. Apesar de a questão ser tratada mais superficialmente, a franqueza na letra faz com que a empatia seja grande, muitas vezes ajudando quem ouve a se identificar com a música.

Hotel San Diego” é uma canção muito boa também. Nela, Jão consegue flutuar bem entre agudos e graves, mostrando toda sua qualidade. A música começa de maneira mais lenta, mas após o refrão ganha um tom um pouco sensual, o que combina com a letra também, ficou ótimo.

- PUBLICIDADE -

Encerrando o álbum, aparece a “:( (Nota de Voz 8)”. Ela é uma faixa que conta apenas com o vocal e o violão. O ritmo é bem lento e a voz apresenta o tom emotivo que é conhecido do cantor.

Musicalmente, “Anti-Herói” é um disco muito bom e o músico consegue mostrar seu talento já conhecido por seus trabalhos anteriores. O destaque vai para a composição de letras, que realmente foi muito bem feita. As dores num relacionamento são um tema que todo mundo já passou, então é fácil de se identificar em muitas faixas. Com este novo trabalho, Jão dá mais um passo para se firmar nesse novo cenário da música brasileira.

- PUBLICIDADE -

Muito obrigado pela sua visita e por ler essa matéria! Compartilhe com seus amigos e pessoas que conheça que também curtam Jão, e acompanhe a Nação da Música através do Twitter, Google Notícias, Instagram, YouTube, Facebook e Spotify. Você também pode receber nossas atualizações diárias através do email - cadastre-se. Caso encontre algum erro de digitação ou informação, por favor nos avise clicando aqui.

Torcemos para que tudo esteja bem com você e toda a sua família. Não se esqueça de lavar bem as mãos e se possível #FicaEmCasa, mas se precisar sair não se esqueça de usar a máscara! Cuide-se.


Caso este player não carregue, por favor, tente acessa-lo clicando aqui.

- PUBLICIDADE -
RESUMO DA RESENHA
"Anti-Herói" - Jão (2019)