Natiruts
Foto: Rafael Strabelli / Nação da Música.

No final de novembro do ano passado, o Natiruts lançou seu novo álbum com músicas inéditas nas plataformas digitais.

Com nove faixas, o grupo apostou em diferentes parcerias que deram uma nova cara às músicas, mas sem perder a essência que fez o grupo ter sucesso.

A primeira do disco é “Serei Luz” que conta com a colaboração de Thiaguinho e é uma das melhores desta produção. Lançada como single, ela já é um sucesso e não à toa. Abordando temas como espiritualidade e religião, as duas vozes combinam muito. Além disso, ela funciona bem como uma canção introdutória, já que inicia de maneira mais lenta, mas acelera aos poucos.

Já mais agitada do que a anterior, “Deriram” tem um bom ritmo e instrumentos mais bem trabalhados com mais destaque. Ela já tem um tom mais pessoal, falando de sentimentos e sobre enfrentar aspectos negativos como medo, defeitos e solidão. No refrão, a mensagem é positiva dizendo da força da luz do sol e o reggae.

A faixa-título é em parceria com Morgan Heritage e a escolha foi um grande acerto. Primeiro porque misturando os dois idiomas já é algo diferente e segundo que a voz da Una Morgan é excelente, com um timbre muito agradável e encaixa muito bem na canção. Além disso, a parte instrumental também merece ser destacada, após um dos refrãos, instrumentos de sopro aparecem e a música fica ainda melhor.

Bem Pra Longe” é uma música um pouco mais lenta e seu ritmo não muda muito. Já a letra tem novamente a ideia mais positivista de se livrar do mal, como é dito no refrão, e esperançosa quando canta que “o que não vivi, fica a promessa que um dia vou viver”. E, de novo, vale ressaltar a beleza da base instrumental nesta também.

- PUBLICIDADE -

Começando mais animada e com um ritmo dançante, “Xaxado do Amor” tem uma letra bem leve, fala de sentimentos bons e da reciprocidade do universo, dizendo que o bem que fazemos um dia volta para gente. Ela é uma boa música, bem tranquila de ser ouvida e é outra que também já ganhou clipe.

Mais uma grande colaboração aparece em “Verde do Mar de Angola”. Nesta, a parceria vem Gilberto Gil, um dos maiores nomes da música nacional e de muita importância para o reggae. Cheia de batuques ao fundo, ela também é agitada e a presença do cantor contribuiu muito para a qualidade dela.

A última parceria vem na maior música do álbum, “Mergulhei Nos Seus Olhos” com Katchafire, grupo da Nova Zelândia. Mais uma vez, ela mistura inglês com português e isso fica ótimo. Ela é um pouco mais parada, bem lenta e sem alterar tanto o ritmo, o refrão se repete bastante e é uma faixa para dar uma desacelerada.

Hoje Eu Quero Ouvir” é uma canção bem no estilo que consagrou Natiruts, tem uma boa base instrumental e com direito a um breve solo após o refrão, que ficou ótimo. A letra fala sobre voltar a ser feliz e escutar uma música que seja capaz de fazer isso. É uma faixa bem leve e tranquila para ser ouvida.

- PUBLICIDADE -

Para encerrar o álbum, vem “O Silêncio Virou Som”, que segue o mesmo padrão da anterior e termina muito bem esta produção. Até os dois minutos, aproximadamente, ela é bem animada e então desacelera um pouco e aí os vocais ganham mais destaque e depois volta a acelerar.

“I Love” é um ótimo disco, mostra que Natiruts ainda tem muita força, não só no reggae como na música brasileira no geral. Ele flui bem, é leve para ouvir inteiro de uma vez e suas colaborações foram bem pontuais e todas muito acertadas.

Deixe seu comentário no final dessa publicação, marque seus amigos que também curtem Natiruts, acompanhe a nossa agenda de shows e a Nação da Música através do Twitter, Facebook, Instagram e Spotify. Muito obrigado pela visita e por ler essa matéria!