Christina AguileraNa última sexta-feira (15), a Christina Aguilera disponibilizou seu oitavo álbum de estúdio depois de seis anos sem lançamentos. “Liberation” vem com cinco parcerias e com boas mudanças de ritmos.

A primeira faixa recebe o mesmo nome do disco e é bem introdutória, começa com um piano e a cantora sussurrando ao som de risos de crianças atrás.t Um violino ganha força e preenche o instrumental.

Com apenas 25 segundos, “Searching for Maria” possui apenas o vocal e é uma introdução de “Maria” que vem na sequência. Essa possui um vocal de apoio gritando o nome de Maria e Christina Aguilera cantando por cima. Com um minuto de música as batidas iniciam e a música fica agitada. Da ponte ao final, a cantora mostra sua grande potência vocal, que é sempre um destaque.

Sick of Sittin’” inicia com uma riff de guitarra bem interessante que se repete durante a faixa. É uma canção que tem um ritmo diferenciado do restante do álbum sem tanta a utilização de recursos eletrônicos. “Dreamers”, que vem logo depois, com pouco mais de 30 segundos, são pessoas falando o que gostariam de ser quando crescer.

Primeira parceria do disco, “Fall In Line” é uma ótima música. Ela é um pouco mais lenta e possui um refrão muito cativante. As vozes de Christina Aguilera com a da Demi Lovato formam uma grande combinação também. É uma das melhores do disco.

Em nova colaboração, “Right Moves” aparece com as artistas jamaicanas Keida e Shenseea. A levada da música também vem do estilo delas. É uma canção mais leve e foi outra mistura que pode ser dada como acerto no álbum.

- PUBLICIDADE -

Like I Do”, que vem com a participação de Goldlink, já é uma faixa que combina o pop com o hip hop. Seu refrão também fica bastante na cabeça, além de possuir um ritmo que se repete o tempo todo.

Deserve” retoma apenas ao vocal da Christina Aguilera com um pop mais lento. Durante os versos o ritmo até aumenta, mas chega o refrão, há uma quebra na velocidade e a batida quase para, criando um diferencial.

Retornando com o grande uso dos pianos, “Twice” é uma música mais crua, sem muitos recursos eletrônicos e isso faz dela um dos principais destaques do álbum. Novamente, a cantora mostra todo seu talento de voz com refrão extremamente potente. Por fugir do estilo mais dançante, ela ainda se distingue do resto.

I Don’t Need It Anymore” é um interlúdio que dura pouco menos de um minuto, iniciando com um coro e acabando apenas com o vocal. Na sequência, aparece “Accelerate”, que também já tinha sido lançada como single e conta com a parceria de Ty Dolla $ign e 2 Chainz. Ela já é bem mais animada e bem envolvente, lembra a Christina Aguilera do “Back to Basics”. Além disso, a ponte feita pelo rapper ficou muito boa e prende mais quem está ouvindo.

- PUBLICIDADE -

Pipe” é uma faixa mais estável, não muda tanto o ritmo e volta a ser mais devagar. A colaboração de XNDA vem na ponte e ainda assim mantém o estilo que vinha antes. O vocal da cantora é mais suave nessa, em determinados momentos quase como sussurros, é uma canção bem tranquila.

Masochist” é outro grande momento da artista, com o refrão alcançando ótimos tons. É mais uma que deixa de lado o pop dançante e enaltece a voz.

Fechando o disco, “Unless It’s With You” é uma excelente canção romântica com toques de balada suave. Também é uma canção lenta e aqui a cantora utiliza muito bem o agudo. Esta foi uma opção muito boa para terminar o álbum.

“Liberation” é um álbum que demonstra um amadurecimento musical, apresenta uma boa combinação de ritmos, parcerias muito bem firmadas e reafirma a artista entre os principais nomes do pop atual.

Deixe seu comentário no final da página, marque aquele seu amigo que também curte Christina Aguilera, e acompanhe a Nação da Música nas Redes Sociais: Facebook, Twitter, Spotify e Instagram. Ouça “Liberation” abaixo:

- PUBLICIDADE -