7 Filmes com trilhas sonoras incríveis – Parte 3

Django Livre
Divulgação Netflix
- PUBLICIDADE -
Siga @nacaodamusica no Twitter
- PUBLICIDADE - Siga @nacaodamusica no Twitter

Encerramos a nossa série com indicados ao Oscar, produções independentes e comédias, alguns já veteranos do cinema e outros mais recentes. Em comum, mais uma vez todos apresentam músicas que se encaixam perfeitamente no roteiro e tornam a experiência mais completa.

Confira, a seguir, mais 7 filmes que valem a pena não só assistir, mas também ouvir.

- PUBLICIDADE -

Django (2012)
Considerado um dos maiores filmes de Quentin Tarantino, “Django Livre” está repleto de excelentes escolhas musicais. A trilha faz uma mistura equilibrada de gêneros como clássicos do faroeste, rap, soul e R&B, cada uma com seu propósito.

- PUBLICIDADE -

É no cinema western italiano que Tarantino busca suas principais referências e, com isso, composições de Ennio Morricone voltam a ganhar vida em “Django Livre”. Aliás, o nome do personagem de Jamie Foxx faz homenagem a uma produção de mesmo nome lançada em 1966 na Itália.

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

“Unchained” foi uma faixa original feita para “Django Livre”. A produção resgata a música “The Payback”, interpretada por James Brown, para um mashup com 2Pac, que canta “Untouchtable”. A união dos dois artistas foi surpreendente e o resultado aparece durante uma das cenas mais icônicas de todo o filme.

- PUBLICIDADE -

Fora de Série (2019)
Apesar da sinopse lembrar um filme de comédia clichê adolescente do Ensino Médio, “Fora de Série” consegue equilibrar originalidade e referências clássicas no mesmo espaço. As piadas funcionam naturalmente, a dupla de protagonistas é especial e as músicas ajudam a direcionar a trama.

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

A trilha sonora de “Fora de Série” abrange uma boa variedade de estilos musicais. Lizzo, Lykke Li, Sofi Tukker, Anderson .Paak, Alanis Morissette, Edward Sharpe & The Magnetic Zeros, LCD Soundsystem e vários outros artistas surgem na hora certa, às vezes como pano de fundo e em outros momentos como destaque da cena.

A faixa “Slip Away”, da banda Perfume Genius, é executada no momento ideal em que música, direção e edição se completam perfeitamente. Ela guia uma das principais reviravoltas do filme e acaba apresentando uma nova camada na história.

Nasce Uma Estrela (2018)
É inegável que a música que mais fez sucesso no filme “Nasce Uma Estrela” com Lady Gaga e Bradley Cooper foi “Shallow”. Mas, olhando bem, o resto da trilha sonora tem composições ainda melhores e que valem a pena mencionar nesta lista.

- PUBLICIDADE -

Todas as canções do personagem Jackson Maine são bem pensadas e executadas, revelando que o ator Bradley Cooper também tem talento na área musical. “Black Eyes”, “Out Of Time”, “Diggin’ My Grave” e “Alibi” são exemplos de músicas menos comerciais que dão mais personalidade ao filme.

Tanto o lado country rock de Jackson quanto as baladas de Ally funcionam bem individualmente, mas os duetos são os principais destaques de “Nasce Uma Estrela”. Além de tudo, também foi muito interessante conhecer um novo lado artístico de Lady Gaga.

- PUBLICIDADE -

Quase Famosos (2000)
Os fãs de rock and roll tradicional e músicas dos anos 1970 em geral são bem servidos no filme “Quase Famosos”. A obra retrata um jornalista da revista Rolling Stone que acompanha músicos em uma turnê pelos EUA. O personagem William Miller foi baseado no próprio diretor e roteirista Cameron Crowe e sua história verídica.

A banda Stillwater que aparece em “Quase Famosos” foi criada a partir de características de grandes grupos da vida real, como The Who, The Eagles, Led Zeppelin, The Allman Brothers Band e Lynyrd Skynyrd. Muitos momentos realmente foram vivenciados durante a jornada pessoal de Cameron Crowe, que misturou os elementos para a obra ficcional.

Em uma das cenas mais marcantes de “Quase Famosos”, a música “Tiny Dancer” de Elton John toca durante uma viagem no ônibus da turnê. Mesmo com uma tensão no ar depois de uma briga, a melodia consegue unir a banda e os amigos rapidamente.

- PUBLICIDADE -

Mesmo Se Nada Der Certo (2013)
O cineasta John Carney confirmou que a sua principal qualidade é contar histórias que têm a música como protagonista. Depois do sucesso de “Apenas Uma Vez”, ele dirigiu e escreveu o filme “Mesmo Se Nada Der Certo”, com orçamento maior e artistas como Mark Ruffalo, Keira Knightley e Adam Levine no elenco.

Além das faixas originais serem realmente boas, o roteiro é bem desenvolvido as cenas musicais fluem naturalmente. Na história, um produtor musical desempregado e uma cantora-compositora sem contrato gravam um álbum em diversas locações ao ar livre na cidade de Nova York.

A maior parte das músicas foi escrita por Gregg Alexander, compositor que ficou conhecido como o líder da banda New Radicals. “Lost Stars”, a principal faixa do filme, foi indicada ao Oscar na categoria “Melhor Canção Original”.

- PUBLICIDADE -

La La Land (2016)
Tentei deixar os musicais tradicionais fora dessa lista (é uma categoria que merece um artigo próprio), mas “La La Land” é a minha exceção. O filme cumpriu um papel fundamental ao reintroduzir o gênero na grande indústria, sem medo de criar longos números de dança e muitas referências aos clássicos.

Mia Dolan vive o sonho de se tornar uma grande atriz em Hollywood e não há nada melhor para contextualizar isso do que as incríveis músicas e coreografias. Sebastian equilibra o tom com suas composições de jazz no piano, que são capazes de trazer melancolia e calma ao mesmo tempo.

A trilha sonora de “La La Land”, assinada por Justin Hurwitz, venceu o Oscar, assim como a canção original “City of Stars”. Muitas outras músicas merecem destaque, tanto pelas cenas em que são apresentadas como pelo conjunto de elementos musicais. “A Lovely Night” é uma delas, utilizada para a primeira dança entre Mia e Seb.

- PUBLICIDADE -

Inside Llewyn Davis (2013)
O ator Oscar Isaac apresenta a personificação do cantor-compositor melancólico que utiliza a música como salvação. Apesar da história trágica e dos problemas que se acumulam, “Inside Llewyn Davis” consegue encontrar certo tipo de calma, mesmo que passageira, durante as performances.

O folk dos anos 1960 é a marca de Llewyn Davis, um artista que toca em bares com seu violão em busca do sucesso, mas só encontra o fracasso. No geral, a história dos irmãos Joel e Ethan Coen utiliza músicas originais que se encaixam com o clima frio de Nova York.

“Inside Llewyn Davis” tem ainda Justin Timberlake como coadjuvante e é interessante vê-lo longe da cena pop. Apesar de Oscar Isaac ser o grande destaque, o filme encontrou um espaço sutil para mostrar Bob Dylan antes da fama cantando “Farewell”.

- PUBLICIDADE -

Apesar de ter sido a última edição da série, acho importante mencionar que existem muitos outros nomes que acabaram não entrando para a seleção final. Continue descobrindo mais trilhas sonoras e assista aos filmes com essa atenção – você verá que a variedade é bem maior do que imagina :)

Caso ainda não tenha acompanhado aqui na NM, confira também a parte 1 e a parte 2 de nossa grande lista de filmes com trilhas sonoras incríveis.

Muito obrigado pela sua visita e por ler essa matéria! Compartilhe com seus amigos e pessoas que conheça que também podem se interessar em ver esse texto, e acompanhe a Nação da Música através do Twitter, Google Notícias, Instagram, YouTube, Facebook e Spotify. Você também pode receber nossas atualizações diárias através do email - cadastre-se. Caso encontre algum erro de digitação ou informação, por favor nos avise clicando aqui.

Torcemos para que tudo esteja bem com você e toda a sua família. Não se esqueça de lavar bem as mãos e se possível #FicaEmCasa, mas se precisar sair não se esqueça de usar a máscara! Cuide-se.

- PUBLICIDADE -