Especial: The Voice USA (10) – Veja como foram as apresentações do Top 10

Estamos de volta com mais uma semana do The Voice! Na última segunda-feira (02) os candidatos do Top 10 subiram ao palco para cantarem uma música cada e para conquistarem o voto do público, assim então, conseguindo ficar mais uma semana no programa. Nessa noite em especial tivemos a presença da Michele Obama, em que celebraram o mês da apreciação do militar. Nessa abertura, o top 10 cantou a música “Home”.

Daniel Passino, do Team Pharrell, foi mais uma vez o primeiro a se apresentar. O jovem, que é uma controvérsia para muitos fãs do programa, esteve no bottom 2 na última semana, mas conseguiu continuar. Para essa semana recebeu a tarefa de cantar a música “I Don’t Want to miss a Thing” do Aerosmith. Essa é uma daquelas músicas que a gente já cansou de ouvir em programas musicais, então se não for uma apresentação fenomenal, não vai ter muita relevância para o público e vai cair no esquecimento. Não posso negar que Daniel tem uma voz muito melodiosa, mas não tem nada mais além disso. Infelizmente nessa apresentação houve alguns problemas de afinação e a música não está vendendo muito bem no iTunes.

Shalyah Fearing, do Team Adam, voltou com tudo nessa semana. Apesar de ser uma música muito madura para sua idade, “My Kind of Love” da Emili Sande, de acordo com ela, é o estilo que quer seguir em sua carreira. A apresentação teve seus pontos altos e baixos. Shalyah mostrou muita paixão e sentimento, o que chegou a cativar o público, mas também teve alguns problemas de afinação e um pouco de exagero nas notas altas.

Nick Hagelin, do Team Christina, quase me conquistou na semana passada, mas voltamos à estaca zero. Cantando “I Can’t Help It” do Michael Jackson, ele estava com uma música que parecia ser perfeita para seu estilo, mas na apresentação conseguimos perceber as suas falhas vocais algumas notas que não pareciam muito confortáveis para ele. Sua presença de palco também estava um pouco “fora do ar” e a apresentação toda pareceu um pouco estranha de assistir.

Adele que me perdoe, mas eu não aguento mais ouvir “Rolling in the Deep”. Hannah Huston, do Team Pharrell, acabou recebendo a tarefa de cantar tal canção. Ela vinha se mostrando bem dinâmica em suas apresentações, mas nessa noite pareceu que ela estava tentando demais trazer uma emoção que na verdade não transpareceu em nada. Porém os vocais estavam no ponto.

E quem pensou que Laith Al-Saadi, do Team Adam, não ia conseguir nada no The Voice, sempre acaba se surpreendendo com suas performances. Depois de fazer algo mais contemporâneo, nessa semana ele voltou com a música “The Thrill Is Gone” do B.B King. Apesar de parecer uma escolha óbvia para ele, ele estava muito confortável no palco, mostrou mais do seu talento com a guitarra e fez uma ótima apresentação.

Paxton Ingram, do Team Blake, teve uma ótima semana anteriormente, mas comecei a perceber que ele está meio perdido na competição. Começou cantando R&B e músicas pop, depois cantou gospel e nessa semana apresentou uma canção da Celine Dion. Não consigo ver um padrão aqui. Apesar disso, não posso dizer que foi uma performance ruim de “It’s All Coming Back to Me Now”, pois com essas últimas canções que apresentou, ele conseguiu mostrar mais do seu potencial vocal.

Mary Sarah, do Team Blake, teve bons momentos e maus momentos no The Voice. Essa semana, finalmente, parece que ela voltou para os trilhos com a apresentação de “Stand by Your Man”. É uma música clássica, o que traz o seu retorno às raízes e onde ela esteve bem confortável. Atingiu notas altas e difíceis no refrão, transmitiu emoção e parecia uma profissional.

Bryan Bautista, do Team Christina, também é daqueles candidatos que começaram fortes e tiveram um deslize no meio do caminho. Então, nessa semana, precisava voltar a ser relevante e conseguiu. Cantando “Promise” do Romeo Santos e Usher ele usou do artifício de apresentar uma canção bilíngue, atingindo um novo público e também fez uma ótima apresentação, com aquele estilo que estávamos acostumados. Apesar dele ter usado o “latin card”, não acredito que esse seja o foco da sua apresentação. Ele realmente voltou a cantar algo do estilo que ele fazia antes, mas de uma forma mais confortável.

Alisan Porter, do Team Christina, é considerada o unicórnio da temporada, mas de uns tempos para cá, eu comecei a duvidar um pouco dessa vitória certa dela. Não porque ela não seja boa, mas talvez superestimada. Nessa semana, cantou a música “Let Him Fly” e teve um momento mais intimista. São essas apresentações que eu gosto dela, porque trabalha com o emocional e não fica irritante de ouvir.

Por fim chegamos a última apresentação da noite. Adam Wakefield, do Team Blake, cantou a música “I Got a Woman”, canção que ele estava performando no dia em que conheceu a sua namorada. Já deu até para ficar um pouco emocionado, né? Ele tem mostrado cada vez mais o seu potencial e o seu diferencial.

Não deixe de curtir a nossa página no Facebook, e acompanhar as novidades do The Voice e da Nação da Música.

COMPARTILHAR
Andressa Oliveira
Metade campograndense, metade paulistana, jornalista e apaixonada por música. Escreve para o Nação da Música desde 2012, estuda música desde pequena, é obcecada por reality shows musicais, odeia atender telefone, mas não vive sem seu celular. Seriados, livros e comida também não podem faltar em sua vida.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!