Especial – The Voice USA: saiba tudo que rolou na premiere da terceira temporada

Fãs de The Voice! Sejam muito bem vindos ao nosso primeiro post semanal sobre o programa no Nação da Música. Aqui, vamos repassar um pouco do que aconteceu no episódio da semana, comentar os concorrentes, torcer por nossos favoritos e, porque não, até dar uma de coach?

Para os mais desligados, a terceira temporada do The Voice começou na última segunda (10), com a primeira, das cinco partes, blind audition. E a temporada já começou com a incrível apresentação do clássico “Start Me Up”, dos Rolling Stones, interpretado pelos nossos queridos coaches!  Espera ai, você não faz ideia de quem são os coaches?

Estamos falando de Adam Levine, vencedor de três Grammys e vocalista do Maroon 5. Blake Shelton, autor de 12 singles número 1 nas paradas americanas, escolhido vocalista country do ano e treinador vencedor da última temporada do programa. Cee Lo Green, vencedor de cinco Grammys e integrante do Gnarls Barkley. E por fim, mas não menos importante, Christina Aguilera vencedora de cinco Grammys que já vendeu mais de 50 milhões de álbuns. É um ótimo time de treinadores, não?

Essa temporada de The Voice apresenta uma pequena alteração em relação à sua antecessora. Desta vez, cada treinador poderá contar com 16 participantes em seus times, enquanto na última temporada, vencida por Jermaine Paul do time Blake, este número era de 12.

Mar Aberto

Vamos parar de conversa para saber como foi a primeira parte das blind auditions desta terceira temporada!

O primeiro candidato que conhecemos é Terry McDermott, um roqueiro escocês que, apesar de não ter dado certo no sonho americano de virar um rockstar, formou uma linda família na terra do Tio Sam e pretende voltar à música. Com um vocal maravilhoso, cheio de sotaque, apresentou a música “Baba O’Riley”, The Who, e virou logo três cadeiras! McDermott foi para o time do último campeão Blake.

Logo após temos contato com uma das primeiras belas histórias que o programa conta. A jovem De’Borah, filha de pastores e que sempre cantou na igreja. Porém, sua aparência e sexualidade passaram a ser mais importantes que sua – maravilhosa – voz. De’Borah é exatamente o que a ideia do programa pretende, escolher uma voz independente de qualquer coisa. Apresentando o hit “Hey, Soul Sister” com uma naturalidade incrível, dominou o palco e atraiu a atenção de Cee Lo e Christina. O lado fã acabou pesando na decisão e De’Borah foi a primeira,e ótima, aquisição para o time de Xtina.

De’Borah não foi a única fã de Christina a se apresentar no programa, e a conquistar a cantora. A jovem texana Devyn DeLoera fez algo incomum para os testes iniciais do programa: cantar uma música de um dos jurados. Apresentando “Ain’t No Other Man”, hit do quinto álbum de Christina Aguilera, a jovem atraiu a atenção de três coaches. Adam e Blake até tentaram, inutilmente, tirar essa ótima voz de Christina.

O time de Blake logo ganhou mais um interessante participante. A jovem Gracia Harrison, não só foi a primeira cantora country desta edição do programa, como tem a peculiar técnica vocal do Yodeling, que consiste num vocal alternando e cheio de falsetes. Além de Blake, Adam e Cee Lo disputaram, sem sucesso, a voz da prodígio de Illinois.

Conhecemos outras bonitas histórias no programa, mas que infelizmente não resultaram em cadeiras viradas. Como a do jovem de 16 anos Garrett Gardner, que pretende manter a memória do pai viva, através da música que ele ensinou o filho a amar. Também conhecemos a jamaicana Anita Antoinette, que apesar de ter vivenciado a realidade do país, não conseguiu despertar nos juízes a emoção que eles esperavam em uma música de Bob Marley. Uma pena,  achei ambos com vozes bonitas. Quem sabe em outras edições, como foi o caso do Daniel Rosa.

O garoto de 21 anos da Califórnia, que não foi aceito na audição da última edição do programa, não desistiu e aproveitou as dicas dos jurados e voltou para tentar novamente uma blind audition, na esperança de que pelo menos uma cadeira se virasse. Cantando uma versão do hit “Somebody That I Used To Know” do Gotye, Daniel despertou o interesse de Blake, mas acabou sendo a primeira adição ao time de Cee Lo. O que vocês acharam do retorno de Daniel? Acho que melhorou bastante desde a apresentação na temporada passada, hein?

Não se preocupem fãs de Maroon 5, a primeira aquisição de Adam Levine ao seu time demorou para sair, mas não podia ser melhor. Estou falando do californiano Bryan Keith, que sem sombra de dúvidas foi uma das melhores vozes dessa primeira parte do programa. Bryan virou logo as quatro cadeiras com a sua maravilhosa apresentação de “It Will Rain” do Bruno Mars.

O outro membro que Adam conseguiu para seu time foi o rockeiro do Texas Joe Kirkland, que pode ser conhecido de algumas pessoas por ser o vocalista do grupo Artist Vs. Poet. Gostei bastante do Joe na escolhe da música, “Gives You Hell” do The All-American Rejects é uma das minhas músicas favoritas!

Uma linda história, e com certeza uma linda voz, foram guardadas para a última audição da primeira parte do programa. Trevin Hunte tem 18 anos e uma voz perfeita, sem sombra de dúvidas foi a melhor desta primeira parte do programa. Um garoto com um poder vocal incrível, mas com pouca auto-estima. Três cadeiras viradas para a belíssima apresentação de “Listen”, da Beyoncé, e Travin foi a segunda aquisição de Cee Lo para o seu time.

Esse foi o nosso primeiro resumo semanal do The Voice. Vamos seguir assim até o final do programa. Comentários, sugestões e, acima de tudo, a sua opinião são muito bem vindos! Não se esqueça de manter-se sempre atualizado seguido nosso perfil no Twitter e curtindo nossa página no Facebook.

Mar Aberto
- PUBLICIDADE -