The Voice
Foto: Youtube.

Mais uma semana intensa começando no The Voice. Nessa segunda-feira vimos as apresentações do Top 13 dessa 16ª temporada. Uma curiosidade sobre esse episódio foi que o público votou e escolheu as músicas que cada um dos candidatos iria cantar. Vamos ver então tudo o que rolou.

Team Blake: Gyth Rigdon

O público escolheu “Nobody But me”, do próprio Blake, para que Gyth performasse. A canção lhe serviu bem e a performance foi um sucesso, deixando seu técnico bem impressionado.

Team Blake: Kim Cherry

A energia e confiança de Kim são dois dos grandes fatores que a favorecem no The Voice, e não foi diferente com “Whatta Man”, que lhe permitiu voltar ao que vimos nas Blinds e dar  o ar de hit dos anos 90.

Team Kelly: Jej Vinson

- PUBLICIDADE -

Ainda mostrando como entendem bem os participantes, o público escolheu “Close”, para a performance de Jej. Ele manteve a linha R&B com canções recentes e continua no que pode ser considerada sua zona de conforto.

Team Blake: Andrew Sevener

“She Got the Best of Me” foi a canção designada à Andrew, que nada mais fez além de uma performance espetacular. Apesar de ser uma de suas qualidades, sua paixão e empolgação no momento da apresentação, podem lhe render algumas desafinadas.

Team Blake: Oliv Blue 

- PUBLICIDADE -

Oliv foi salva da eliminação no episódio anterior, e desta vez chegou decidida a mostrar o motivo de ter recebido uma segunda chance. Com “Smooth Operator”, ela apresenta não de forma perfeita, mas verdadeira.

Team Blake: Dexter Roberts

Como o terceiro candidato country a subir ao palco nesta noite, Dexter tem o dever de se diferenciar dos outros. “Something Like That” foi a canção escolhida para ele, que tem pontos a melhorar, mas no geral se apresenta de forma sólida.

Team John: Shawn Sounds

Apesar de ter algumas dificuldades nas partes mais baixas da canção, Shawn entrega uma performance e tanto de “A House Is Not a Home”, que foi capaz de deixar seu técnico impressionado.

- PUBLICIDADE -

Team John: Celia Babini

É necessário ter muita coragem para interpretar uma canção tão grande e tão popular quanto “Shallow”, mas esta missão foi designada para Celia. Apesar de alguns momentos fracos, ela se recupera e consegue terminar a apresentação bem.

Team Adam: L.B. Crew

L.B. provou ter sido uma boa opção no Comeback Stage e a canção escolhida para ele, “I’ll Make Love to You”, lhe permitiu se divertir e mostrar um lado bem mais despojado no palco.

Team Adam: Mari Jones

Mari não é o maior destaque da temporada, mas seu estilo é único certamente lhe dá uma determinada vantagem. Com “Foolish”, ela desafina em alguns momentos, o que torna sua apresentação mediana.

Team Blake: Carter Lloyd Horne

“Let It Go” foi uma ótima escolha para Carter, já que mostrou um lado mais vulnerável de sua personalidade, algo que ainda não tínhamos visto.

Team Kelly: Rod Stokes

O clássico “When a Man Loves a Woman” foi uma das melhores performances de Rod Stokes, com seu lado soul e a textura natural de sua voz, que dá um toque mais especial na canção.

Team John: Maelyn Jarmon 

Por último mas não menos importante, Maelyn apresentou “The Scientist”, canção que se bem executada funciona de uma ótima maneira, já que possui forte apelo emocional. Tudo foi perfeito e sua performance foi, sem dúvida, a melhor da noite.

Deixe seu comentário no final dessa publicação, marque seus amigos que também curtem The Voice, acompanhe a nossa agenda de shows e a Nação da Música através do Twitter, Facebook, Instagram e Spotify. Muito obrigado pela visita e por ler essa matéria!