Em 2010, no dia 11 de maio, o primeiro EP do cantor havaiano “It’s Better If You Don’t Understand” foi lançado pela Elektra Records/Atlantic Records. O jornalista especializado em música pop, Bill Lamb, da About.com (site que funciona como um guia de pesquisa sobre música afiliado ao The New York Times) fez elogios ao EP de Bruno Mars dizendo que as canções “cobrem inteiramente uma vasta série de prazer pop” e que “… deve tocar em sua rádio“.
Além de Bill, David Jeffres do site AllMusic, também fez uma crítica ao EP alertando que as canções “podem não deixar o ouvinte implorando por mais, mas que vai deixar os fãs do pop abertos à ideia.
O nome do EP, que traz quatro faixas, sendo uma delas com participação de Cee Lo Green e B.o.B., é uma frase da música “The Other Side”, único single do EP digital. “It’s Better If You Don’t Understand” estreou em 99º lugar na Billboard 200 dos Estados Unidos, permanecendo por uma semana.

Doo-Wops & Hooligans” é o primeiro álbum de estúdio de Bruno Mars, também sendo lançado pela Elektra Records/Altantic Records e considerado por sua variedade de influências que vão do pop, passando pelo reggae, R&B, soul e hip-hop. Lançado em 04 de outubro de 2010, este álbum conta com todas as canções do EP lançado alguns meses antes. O álbum alcançou a 3ª posição na Billboard 200 logo em sua estreia, vendendo cerca de 55 mil cópias na primeira semana. Chegou ainda no Top 10 no Brasil, Austrália, Canadá, Irlanda, França e outros.
A famosa revista “Rolling Stones” se referiu ao álbum como melhor estreia do ano. Sean Fennessey do jornal “The Washington Post”, disse que o álbum é um bom começo para uma “carreira duradoura“. Outro jornalista, Tom Gockelen-Kozlowski do “The Daily Telegraph” disse que é “uma estreia empolgante” e acrescentou dizendo que “o estilo Kanye West de Grenade, The Other Side e Our First Time que liga os pontos entre Michael Jackson e Bob Marley.
Porém, nem todas as críticas foram positivas. Tim Sendra, do AllMusic, disse que o álbum foi “uma estreia irregular… [que] não toca em seu potencial como escritor ou produtor.” Ken Capobianco do “The Boston Globe” ficou desapontado dizendo que faltou um aspecto autobiográfico de Bruno, mas elogiou a entrega dele.
O álbum conta com 10 faixas, sendo 12 na versão deluxe e há uma variação conforme a edição lançada em um determinado país.

O segundo álbum de estúdio do cantor Bruno Mars, foi lançado no dia 11 de dezembro de 2012, pela Atlantic Records, com o nome de “Unorthodox Jukebox“, com 10 faixas. O álbum foi liberado em streaming em um site, em que era possível ouvir todo o álbum gratuitamente. Recebendo muitas críticas positivas, o álbum alcançou uma nota de 70 de um total de 100, baseado em 16 críticas. Jon Caramanica do “The New York Times” disse que as canções do álbum são “exuberantes“.
Dan Hyman da revista “Spin” disse que o álbum é “totalmente envolvente“. Apesar de muitas críticas positivas, assim como o primeiro álbum, este recebeu algumas palavras negativas por parte dos críticos, como no caso de Tim Sendra, do AllMusic. Ele critica fortemente o álbum devido às letras terem se “distanciado” do romantismo que Mars apresentou no primeiro álbum. Acrescentou dizendo que o “coração do álbum é frio e sombrio” e que este CD é “um passo para trás em vários aspectos“.
Já Melissa Maerz, do portal “Entertainment Weekly” deu uma de suas maiores notas ao álbum, dizendo que ele representa melhor a personalidade e o comportamento de Bruno. Melissa ainda deu destaque para as canções “Locked Out of Heaven” e “When I Was Your Man”.
A revista “Rolling Stones” também opinou sobre o álbum com Jody Rosen, que deu quatro de cinco estrelas para o álbum.

- PUBLICIDADE -