Entrevistamos Nina Fernandes sobre novo clipe e futuros trabalhos

A Nina Fernandes divulgou, nesta quinta-feira (30), seu mais novo clipe intitulado “Arroz com Feijão” feito em parceria da dupla OutroEu.

Aproveitando isso, a Nação da Música realizou uma entrevista com a cantora para falar um pouco sobre este lançamento.

No vídeo, ela aparece ao lado de Mike Tulio num parque de diversões. Ele dá a ideia de ser um encontro normal, mas acaba numa fatalidade, envolvendo até a polícia, como você pode ver no início da publicação.

Apesar da breve carreira, a artista conta com marcas impressionantes, como a de seu clipe “Cruel”, que já possui mais de 2 milhões de visualizações no YouTube.

No início do ano, Nina liberou seu segundo EP “Digitando…“, que veio a público quase dois anos após o seu primeiro trabalho. E, na conversa abaixo, ela conta um pouco a respeito deste disco também.

Entrevista feita por Henry Zatz

- PUBLICIDADE -

———————— Leia a íntegra:

Você está lançando o clipe “Arroz com Feijão”. Como foi o processo de gravação e o que achou do resultado final?
Nina: Sobre o clipe, estou muito feliz com o resultado. O processo de gravação foi uma delícia, a gente gravou num parque de diversões em São Caetano, pertinho de São Paulo. Gravamos com amigos, tivemos participações de influencers, alguns músicos, a Bruna Vieira que tá me dando um suporte desde o comecinho da divulgação deste disco, do “Digitando…”, fazendo os videozinhos lindos, o João Klein, o pessoal de fã-clube também. Então, foi muito gostoso. E o resultado final foi demais, fiquei muito feliz com o trabalho dos meninos da Pródigo, o André Godoi é um diretor maravilhoso e eu aprendi muito com ele.

A música é uma parceria com o duo OutroEu. Como foi para você fazer essa colaboração e como surgiu o plano de gravar com eles?
Nina: Os meninos estão presentes na minha trajetória musical tem muito tempo! A gente se conheceu em 2015, se eu não me engano, eu ainda não tinha trabalho autoral. O Mike me mostrou um esboço dessa música e disse que achava a minha cara e que eu deveria não só escrever as minhas próprias músicas como deveria gravar uma dessas com eles. Eu me apaixonei pela música, mas a gente acabou arquivando ela e deixando ela por aí, à toa. Só que quando eu estava pensando no repertório de “Digitando…”, a gente resgatou essa música. É uma delícia, uma relação de muita admiração, muito respeito, muita gratidão também, acho que foi por conta de toda essa admiração que eu tenho pelo trabalho deles que eu me senti motivada a começar o meu também. Então é muito lindo vê-los participando ainda mais da minha história.

O clipe se passa num parque de diversões e aparenta ser uma história leve, mostrando a interação dos dois, mas acaba com um final bem inesperado. Como surgiu essa ideia para o vídeo?

Nina: A ideia do vídeo surgiu do meu pai, ele que escreveu o roteiro. Meu pai trabalha com publicidade, é um apaixonado por cinema e cuida bastante dessa parte visual da minha carreira, agora nesse início. A gente pensou no clipe, na verdade, durante as gravações no estúdio, a gente começou a pensar mais na interpretação da letra e eu sempre disse que eu achava que ela estava tomando um caminho que era muito doce para, no fim das contas, ela ser uma música que fala um pouco de frustração. A gente está falando de um sentimento de amor não-correspondido, não é muito recíproco, uma relação de provocação, que é própria da paquera, mas que, no fim das contas, no caso do clipe, a gente revela que nem sempre os casais têm as relações que a gente imagina que eles têm.

Esta não é a sua primeira parceria né, você esteve, por exemplo, em “Virgem”, música que canta no álbum do Hotelo e chegou a dividir o palco com eles no Festival NAVE. O que achou dessa colaboração e o que pensa de trabalhar com outros artistas?

Nina: Sim, “Virgem”, para o trabalho dos meninos, o “Mapa Astral”, uma música para cada signo e eu tive a oportunidade de participar. E ainda me trouxe frutos como esse, participar do Festival NAVE, um dos momentos mais bonitos da minha carreira até hoje. Eu sou totalmente a favor de parcerias, acho que a gente tem que fazer muito, porque a cena tem que se unir demais. Acho que é uma troca musical que traz benefícios para gente, entre os artistas, e tenho certeza que quem é fã também gosta de ver, não à toa que sempre me pediram para que eu lançasse essa música com o OutroEu. Eu tinha um vídeo de “Arroz com Feijão” no Instagram, de muito tempo atrás, e muita gente ia no vídeo perguntar qual era a música, por que eu não estava lançando. Acho que foi um pouco por esse desejo que eu tive coragem de me juntar com os meninos e lançar de uma vez essa música.


E em junho você estreia nos palcos cariocas, o que os seus fãs podem esperar desse seu show?

Nina: Sim! Em junho agora, no dia 14, às 21h, no Solar de Botafogo. O Rio é quase como uma segunda casa, tenho parte da minha família carioca. E é um público gostoso, já fiz dois shows para rádio lá e agora é estreia de show meu mesmo, mas já tive o privilégio de tocar lá antes nessas duas ocasiões em shows menores. Eu estou muito feliz! Esse show vai ser uma junção das músicas do “Digitando…”, com algumas músicas lançadas no meu primeiro trabalho e algumas versões que eu acho que também geram um engajamento com o público, eu sempre gosto se incluir uma versão ou outra no show.

- PUBLICIDADE -

A “Arroz com Feijão” faz parte do EP “Digitando…” que você lançou no início do ano. Como você vê sua evolução desse trabalho para o seu primeiro lançado em 2017?
Nina: Eu consigo enxergar uma maturidade artística maior de forma geral, eu acho que as composições estão mais maduras, os temas estão mais diferentes, eles saem da lógica do amor dentro de um relacionamento, ainda que “Arroz com Feijão” esteja nessa temática. Eu pude explorar outros universos, como é o caso da admiração por uma outra artista como é o caso de “Alice”. No caso da música “Tempo”, eu me abri mais sobre ansiedade e passagem do tempo na vida. Eu acho que eu acabei me arriscando mais nos temas das composições e acho que me arriscando também mais a nível de produção musical, foi um disco que me despertou uma paixão muito louca pelo processo de produção no estúdio, eu participei ativamente e é algo que eu vou levar para os próximos trabalhos e acho que é muito enriquecedor para todo artista.

Você tem planos para gravar mais clipes com alguma música desse EP?

Nina: Ainda não sei, estou na dúvida se vou fazer algum clipe desse trabalho ou se eu vou segurar um pouquinho a ansiedade para fazer alguma coisa grandiosa para algum próximo EP, talvez alguma coisa que seja interligada. Sempre pensei em fazer isso, algum EP visual ou um álbum visual, acho que é uma coisa que está super em alta agora e acho que faz sentido considerando a minha pequena trajetória na música, sempre gostei muito de relacionar as minhas músicas ao visual, então acho que seria muito bonito. Estou pensando ainda, estou estruturando isso na minha cabeça.

De maneira geral, quais são suas influências na música? E quem você buscou se inspirar para fazer o “Digitando…”?

Nina: Minhas maior influência na música brasileira sempre vai ser a Marisa Monte, que eu sempre ouvi ela desde pequena, ela fez uma carreira belíssima de forma elegante e sem defeitos. Ela foi por caminhos incríveis, quebrou barreiras, encarou a responsabilidade de fazer uma carreira depois de grandes cantoras no Brasil deixarem as suas marcas, a Gal, a Bethânia, a Elis, indo mais para trás, a gente tem uma coleção de cantoras brasileiras de muita responsabilidade. Acho que tudo que ela carrega até hoje, eu me inspiro nela nesse sentido de assertividade, das escolhas que ela faz, ela é muito inteligente, muito musical, eu me inspiro muito nela.

Mas falando no que eu estou ouvindo mais agora, eu ouço muito Aurora, acho ela apoteótica grandiosa. Em termos de sonoridade tenho muita vontade de fazer alguma coisa proxima daquilo. Tenho ouvido muito Maggie Rogers, Bruno Major, alguns artistas que a Apple Music me apresenta, porque o streaming é maravilhoso, você acaba descobrindo coisas que você não descobriria tendo um disco só.

E, para terminar, você poderia deixar um recado para os leitores da Nação da Música?
Nina: Meus queridos da Nação da Música, muito obrigado pela atenção de vocês. Estou muito feliz de lançar esse clipe de “Arroz com Feijão” com a participação da OutroEu. Espero que vocês gostem e gostem também do meu disco “Digitando…”. E para os fãs da Nação da Música que são cariocas, tem show viu? Dia 14 de junho, às 21h, no Solar do Botafogo, vai ser uma delícia e espero vocês lá! Um beijinho!

Deixe seu comentário no final dessa publicação, marque seus amigos que também curtem Nina Fernandes, acompanhe a nossa agenda de shows e a Nação da Música através do Twitter, Facebook, Instagram e Spotify. Muito obrigado pela visita e por ler essa matéria!