“Blurred Lines”: Pharrell Williams fala pela primeira vez sobre acusação de plágio

Na última terça-feira (10), a justiça estadunidense condenou Pharrell Williams e Robin Thicke a pagarem R$ 22 milhões por considerar “Blurred Lines” plágio de “Got to Give It Up”, faixa lançada em 1977, por Marvin Gaye. Nessa quinta-feira (19), o The Financial Times publicou a primeira entrevista com Williams sobre o caso.

- ANUNCIE AQUI -
@nacaodamusica

“O veredicto limita qualquer criador que está por ai fazendo algo que pode ter sido inspirado em outra pessoa. Isso vale para moda, música, design…tudo.”, diz Pharrell. “Se perdermos nossa liberdade de sermos inspirados, um dia vamos acordar e a indústria do entretenimento estará congelada por disputas. Isso tem a ver com proteger o direito intelectual de pessoas que têm ideias”.

- ANUNCIE AQUI -

Pharrell ainda reclama sobre limitação de criatividade: “Tudo que está em volta de você em uma sala foi inspirado por algo ou alguma coisa. Matando isso, não existe mais criatividade”, finaliza.

- ANUNCIE AQUI -

Já em carta publicada na quarta-feira (18) pelos filhos de Gaye, eles dizem acreditar que o pai “iria acolher a tecnologia disponível para os artistas e as diversas escolhas musicais e espaços acessíveis para fãs”, mas “que ele estaria atento quanto à defesa dos direitos dos artistas.”.

- ANUNCIE AQUI -

Não deixe de curtir a nossa página no Facebook, e acompanhar as novidades de Pharrell Williams e Robin Thicke e da Nação da Música.

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

- ANUNCIE AQUI -
Bárbara Araujo: Carioca que tem São Paulo como casa desde 2009, estuda Jornalismo e escreve para a Nação da Música desde 2014. Passa mais tempo ouvindo música e assistindo a vídeos de shows do que qualquer outra coisa. Ainda compra CD, ama pop-punk, cachorros e é facilmente encontrada em shows.