Em entrevista, Taylor Swift fala sobre o futuro do mundo da música

Em recente entrevista com o jornal “The Wall Street Journal”, Taylor Swift discursou sobre o seu ponto de vista do futuro do mundo da música.

- PUBLICIDADE -
MAR ABERTO

Sobre as vendas de álbuns, Swift, diz que o valor de um álbum é baseado na dedicação do artista, no quanto ele colocou o coração dele e alma no trabalho. Ela reconhece o fato da piratarias, streaming e compartilhamento ter diminuído de forma drástica a venda de discos. E que cada artista lidou de forma diferente, porém ela desaprova os que decidiram praticamente dar as músicas de graça, tanto para se promover ou para contrato de exclusividade.

- PUBLICIDADE -

Taylor se explica nesse trecho: “Música é arte, e a arte é importante e rara. Coisas que são importantes e raras, são valiosas. Coisas que são valiosas deveriam ser pagas. É a minha opinião de que a música não deve ser gratuita, e minha predição é de que artistas individuais e suas gravadoras algum dia irão decidir qual é o preço ideal de um álbum. Eu espero que eles não se subestimem ou menosprezem a sua arte.

- PUBLICIDADE -

Ainda sobre a venda de álbuns, Taylor enfatiza que as pessoas ainda compram, mas apenas os discos que impactam elas, que compreendem e fazem se identificar com a música. Veja no trecho: “Do meu ponto de vista, os fãs observam a música da mesma forma como observam seus relacionamentos. Algumas músicas são só para se divertir, um caso rápido (aquelas que eles dançam em festas num mês inteiro enquanto a música é um grande sucesso na rádio, e que eles logo vão esquecer). Algumas músicas e álbuns representam os períodos das nossas vidas, como relacionamentos que nós mantemos com carinho em nossas memórias mas que tiveram seu tempo e seu lugar no passado.

- PUBLICIDADE -

Confira o clipe de “Red”:

- PUBLICIDADE -