Mesmo longe do Spotify, AC/DC e Taylor Swift são destaques nas paradas

- ANUNCIE AQUI -
@nacaodamusica

O AC/DC aderiu à tática de Taylor Swift e mantém não somente seu novo álbum, “Rock Or Bust”, como também todos os seus materiais fora do Spotify. Contudo, a banda tem sido bem armados em serviços digitais de música por anos. Em 2008, o álbum Black Ice vendeu 785 mil cópias em sua primeira semana de lançamento, sendo vendido exclusivamente no Wallmart e no site oficial da banda.

- ANUNCIE AQUI -

Dessa vez, o AC/DC permitiu a venda de “Rock Or Bust” no iTunes, onde foi o quarto álbum mais vendido da semana, com aproximadamente 172 mil cópias adquiridas. O material chegou à terceira posição, atrás de “1989”, de Taylor Swift  (que vendeu 274 mil cópias) e “That’s Christmas To Me”, do Pentatonix, que vendeu 221 mil exemplares.

- ANUNCIE AQUI -

No clima natalino, outros dois álbuns concorrem com o do Pentatonix. Diretamente do filme “Frozen”, Indina Menzel vendeu aproximadamente 66 mil cópias de seu novo álbum, “Holiday Wishes”, aparecendo na sexta posição. Além dela, “Christmas”, o quinto álbum de Michael Buble vendeu quase o mesmo número de unidades que “Holiday Wishes”, e ficou na sétima posição.

- ANUNCIE AQUI -

Outra notícia envolvendo a restrição aos meios de música digital está relacionada ao álbum “Man Against Machine”, de Garth Brooks. O álbum aparece na oitava posição, tendo vendido 57 mil cópias, mesmo não estando não estando disponível em qualquer serviço de streaming ou loja digital. Taylor Swift e Jason Aldeans mantiveram seus trabalhos recentes fora do Spotify por razões estratégicas. Mas Brook é lutita. Ele recentemente chamou o Youtube de “diabo”.

Não deixe de curtir nossa página no Facebook, e acompanhar as novidades do AC/DC e da Nação da Música. Confira uma das faixas de “Rock Or Bust”:

- ANUNCIE AQUI -

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

Júlia Canedo: Estudante de jornalismo na cidade louca que é o Rio de Janeiro. Curte festinhas, futebol, cerveja, não é referência comportamental pra ninguém e gosta de dar pitaco em tudo. Apaixonada por música, do funk ao punk rock, pretende seguir a carreira de fã por muito tempo. Escreve pro Nação da Música, passa o seu tempo no twitter e ainda sofre por não ter conseguido ir à um show do Oasis.