Scorpions: Klaus Meine fala da volta do baterista James Kottak

No dia 21 de fevereiro, o portal TV Rock Live divulgou uma entrevista feita com o frontman da banda Scorpions, Klaus Meine, que falou sobre a volta do agora sóbrio do baterista, James Kottak.

- PUBLICIDADE -

Em abril do ano passado, Kottak foi preso no Aeroporto de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, por embriaguez, que deixaram o músico encarcerado por um mês e com uma multa de 300 libras. As atitudes do americano o levaram a ser expulso do grupo alemão.

- PUBLICIDADE -

O vocalista comenta: “Foi um desastre. Ele passou do limite, com certeza. Aquilo não foi nada de rock n’ roll, muito menos engraçado”, disse Meine, que continua: “Dissemos a ele: ‘Você está fora da banda e deve se internar. Leve isso a sério.”

- PUBLICIDADE -

Integrante do grupo desde 1996, James retornou ao Scorpions em novembro do ano passado e Klaus afirma que “é ótimo que ele esteja de volta à família.”

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

Recentemente, o novo trabalho do conjunto, “Return to Forever”, que comemora os 50 anos de carreira dos alemães e é o primeiro de inéditas em quatro anos desde o lançamento do disco “Sting in the Tail”, foi lançado no dia 20 de fevereiro. O primeiro single, “We Built This House”, já teve seu videoclipe lançado; Confira.

- PUBLICIDADE -

Não deixe de curtir nossa página no Facebook e acompanhar as novidades da banda Scorpions e da Nação da Música. Veja a entrevista do frontman ao TV Rock Live:

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
Avatar
Leonardo Silva: Sonhador, estranho, inibido e estranho novamente. Às vezes engraçado, de vez em quando muito sem graça. Bipolar, talvez. Um pouco hipócrita, invejoso. Aliás, todos nós somos, afinal, fazemos parte da raça humana. Apaixonado por música, alma vendida ao rock and roll e coração dominado por bandas como: Aerosmith, Kiss, Led Zeppelin, The Beatles e Guns N' Roses. Virgiano que não acredita em perfeição, mas sim que se pode espantar os males cantando. Cursando jornalismo desde 2013 na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), este sujeito começou a escrever para o Nação da Música em 2014 e espera relacionar suas duas paixões para sempre.