5 a seco
Reprodução

O 5 a Seco construiu uma carreira sólida com o passar dos últimos 10 anos, conquistando fãs por onde quer que passem. No entanto, nos últimos meses, foi comunicado pelas redes sociais oficiais do grupo que eles entrariam em hiato por tempo indefinido.

Portanto, foi uma surpresa para todos quando houve o lançamento do disco, “Pausa”, no início de agosto. Pensando nisso, fizemos um #throwback de todos os álbuns da banda, lembrando do primeiro single de cada, começando pelo

  1. Ao Vivo No Auditório Ibirapuera (2012)

Uma grata surpresa, o primeiro álbum do 5 a seco chega para trazer leveza com letras inspiradoras e batidas contagiantes, que deixam qualquer um com a vontade de, no mínimo, balançar a cabeça no mesmo ritmo da música. Com “Gargalhadas” dando início ao projeto, fica clara que a sonoridade da banda pode até se assemelhar a outros artistas de MPB, mas possui uma singularidade sem igual. “Rir mais / Soltar gargalhadas / Deixar pra trás o que te entristece e tece teus ais” é o refrão que reflete o que o álbum procura transmitir: que as coisas boas da vida merecem ser vividas. Não é à toa que as faixas “Feliz Pra Cachorro” e “Faça Desse Drama” são igualmente gostosinhas de serem ouvidas.

Além delas, “Pra Você Dar o Nome” é outra faixa de destaque, e talvez a mais conhecida do álbum por ter feito parte da trilha sonora da novela “Em Família”, da Rede Globo.

  1. Policromo (2014)

Épocas” é a canção que mostra a nova cara do 5 a seco em seu novo trabalho, “Policromo”, lançado em 2014. A música aborda o recomeço, e curiosamente marca uma nova fase da banda, que passa a explorar melodias um pouco menos empolgantes que as do primeiro álbum, mas com letras bastante profundas. Com um tom nostálgico, “Épocas” fala sobre a vida e o tempo que não param, mas sem deixar de olhar para frente.

Em seguida, temos “Eu Amo Djavan”, onde a banda faz um jogo com a sonoridade das palavras. Além dessa música, “Veio Pra Ficar”, “Fiat Lux” e “Nem Tchum” são faixas que também merecem ser ouvidas.

- PUBLICIDADE -
  1. Síntese (2018)

Característica típica da banda, “Na Onda”, a faixa que abre o novo álbum “Síntese” é mais um exemplo do jogo de palavras que os caras costumam usar. Uma das raras canções em que a bateria tem certa visibilidade quando comparada aos outros instrumentos, é um ótimo pontapé inicial para o terceiro álbum de estúdio do 5 a seco.

Síntese”, no geral, não costuma fugir muito ao padrão construído pela banda, e traz certo conforto por soar tão familiar. Possui boas músicas, como o single divulgado antes mesmo da estreia do disco, “Ventos de Netuno”, e até mesmo faixas com letras mais românticas, como é o caso de “Pensando Bem”.

  1. Pausa (2019)

O disco se inicia com a faixa-título, que reflete justamente a necessidade de dar uma “pausa” em alguns momentos da vida para resgatar a essência das coisas, e do que verdadeiramente nos inspira e motiva a continuar. De certa forma, a faixa parece responder aos possíveis questionamentos dos fãs quanto a razão da banda ter optado por dar um hiato na carreira, sem previsão de retorno.

De uma maneira geral, todo o resto do disco também procura falar um pouco mais sobre a trajetória do 5 a seco até o presente momento. Outras canções de “Pausa” também merecem um pouquinho mais de atenção, como “Duas Jornadas” e “Invenção”. A verdade é que esse último projeto da banda possui belas composições – assim como seus trabalhos anteriores – e proporciona uma atmosfera com clima de paz e tranquilidade.

- PUBLICIDADE -
Deixe seu comentário no final dessa publicação, marque seus amigos que também curtem 5 a seco, acompanhe a nossa agenda de shows e a Nação da Música através do Twitter, Facebook, Instagram e Spotify. Muito obrigado pela visita e por ler essa matéria!