Ariana Grande: O primeiro single de cada álbum da cantora


Estamos de volta para analisar o primeiro single de cada álbum de um artista para tentar verificar se o material consegue traduzir o conjunto da obra. Hoje vamos falar sobre a Ariana Grande que chegará, pela segunda vez, em solo brasileiro no final de junho para se apresentar com a “Dangerous Woman Tour”.


Yours Truly (2013)

A cantora fez seu debut em grande estilo, atingindo o top 10 da Billboard Hot 100 com o seu primeiro single. “The Way”, em parceria com o rapper Mac Miller, tem um feeling nostálgico por ser muito semelhante a trabalhos lançados por Mariah Carey na década de 90 e no início dos anos 2000. Com temática romântica, vocais potentes e estilo R&B, versando com o pop, a cantora segue a linha adolescente apaixonada e inocente nos singles “Baby I” e “Right There”, que conta com o rapper Big Sean. O álbum de 2013 alavancou a carreira da cantora e a preparou para o que viria a seguir.


My Everything (2014)

A garotinha adolescente apaixonada do “Yours Truly” saiu de cena, logo no primeiro single de seu segundo álbum, dando espaço a uma Ariana mais autêntica, versátil e ousada. Ainda apostando em parcerias, “Problem” chega, com apoio de Iggy Azalea, trazendo o maior hit da carreira da cantora até então. Com batidas mais irreverentes, o novo álbum traz consigo uma roupagem amadurecida, indo de encontro com a nova imagem de Ariana que assume agora uma postura mais sexy e menos descompromissada. Os singles sucessores são uma real experimentação de estilos pela cantora: “Break Free”, parceria com o DJ Zedd, é uma faixa ímpar no álbum por seguir a linha EDM, “Bang Bang”, hit dividido com Jessie J e Nicki Minaj, é um pop chiclete que reposiciona Ariana no mercado musical com letras debochadas, cunho sexual e duplo sentido. “Love Me Harder” com The Weeknd e “One Last Time” encerram os trabalhos do álbum mais bem sucedido da cantora e revisitam seu estilo romântico com duas baladas que tratam de questões do coração.


Dangerous Woman (2016)

Após lançar um EP natalino entre o álbum anterior e esse, Ariana volta ao cenário musical com um álbum que é uma verdadeira mistura entre seu primeiro e segundo trabalho de estúdio. Como carro chefe, “Dangerous Woman” chega ao público para alavancar a carreira da cantora, que havia sujado sua imagem em polêmica envolvendo seu patriotismo. A faixa homônima é uma balada de vocais poderosos e letra madura que não consegue resumir o restante do álbum que tem, desde faixas que poderiam se encaixar em seu primeiro trabalho, até faixas que facilmente teriam espaço em seu segundo. “Into You”, apesar de não ter emplacado, é uma faixa de muito bom gosto e com letra bastante dinâmica, “Side to Side”, parceria com Nicki Minaj, é a letra mais abusada da cantora e possui um estilo voltado para o reggae-pop que caiu nas graças do púbico e, por fim, “Everyday” é um R&B puro que, auxiliada por Future, traz letra de abordagem adulta. Contudo, o terceiro álbum da cantora é muito mais coeso do que o seu anterior que teve bastante experimentações musicais.

Deixe seu comentário no final da página, marque aquele seu amigo que também curte a Ariana Grande, e acompanhe a Nação da Música nas Redes Sociais: Facebook, Twitter, Spotify e Instagram.

COMPARTILHAR
Marina Moia
Jornalista, bauruense de coração e apaixonada por música desde que se conhece por gente. Viciada em séries, amante de livros e colecionadora de batons coloridos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!